Aleitamento materno não transmite COVID-19

Postado em 8 de abril de 2020 | Autor: Marcella Gava

Estudo constata que leite materno de mulheres diagnosticadas com COVID-19 não contém o vírus

Estudo conduzido por Chen e publicado na revista Lancet avaliou a potencial transmissão vertical da infecção por COVID-19. Para isso foram avaliadas 9 gestantes diagnosticadas com pneumonia por COVID-19 através de seus dados clínicos, laboratoriais, e TC pulmonar. No momento do parto foi aspirado uma amostra de líquido amniótico, do sangue do cordão umbilical e realizado swab orofaríngeo do recém-nascido e após a primeira mamada foi coletada também amostra do leite materno, sendo todos estes materiais testados para presença de SARS-CoV-2.

A idade das pacientes variou entre 26 e 40 anos e todas realizaram parto cesariana. Sete das nove pacientes apresentaram febre moderada (<39ºC), quatro apresentaram tosse, três mialgia, duas dor de garganta e duas mal estar, sendo que uma paciente ainda apresentou falta de ar e pré eclampsia. Oito também apresentaram imagem característica de vidro fosco na TC pulmonar, mas nenhuma das pacientes desenvolveu pneumonia grave e necessitou de ventilação mecânica. Não houve nenhuma morte fetal ou neonatal e nenhuma asfixia. Todos os neonatos apresentaram APGAR de 1 minuto de 8-9 e de 5 minutos 9-10. A presença de SARS-CoV-2 foi testada no  líquido amniótico, no sangue do cordão umbilical, no swab orofaríngeo e no leite materno tanto pelo kit recomendado pela CDC quanto pelo teste RT-PCR sendo que nenhuma das amostras analisadas continham presença de SARS-CoV-2.

Dessa maneira, os autores não encontraram nenhuma evidência para transmissão vertical de COVID-19 em gestação avançada e constataram que o leite materno não contem o vírus SARS-CoV-2 podendo os filhos de mulheres diagnosticada com COVID-19 serem amamentados ao peito.

Referências:

Chen H et al. Clinical characteristics and intrauterine vertical transmission potential of COVID-19 infection in nine pregnant women: a retrospective review of medical records. Lancet. 2020 Mar 7;395(10226):809-815.

Leia também