Como diagnosticar e classificar a desnutrição – NOVO CRITÉRIO

Postado em 15 de abril de 2019 | Autor: Marcella Gava

Entenda os novos critérios para diagnosticar a desnutrição em ambiente hospitalar

Apesar de ser um consenso mundial que a desnutrição está associada ao aumento da mortalidade, morbidade e custos, há uma lacuna no entendimento de como identificar a desnutrição dentro do ambiente hospitalar. Até o momento, não existe um instrumento com ampla aceitação global para diagnosticar e classificar a desnutrição em ambiente hospitalar. Sendo assim, o objetivo principal do GLIM (Global Leadership Initiative on Malnutrition) é adotar um consenso mundial para classificar a desnutrição e desta maneira poder comparar prevalência, intervenções e resultados em todo o mundo.

O GLIM é uma iniciativa de Liderança Global sobre desnutrição focado na construção de um consenso em torno de critérios diagnósticos em adultos em ambiente hospitalar. Possui representantes das principais sociedades de nutrição clínica, como ASPEN (Sociedade Americana de Nutrição Parenteral e Enteral), ESPEN (Sociedade Europeia de Nutrição Clínica e Metabolismo), FELANPE (Federação Latino Americana de Nutrição Parenteral e Enteral) e PENSA (Sociedade Asiática de Nutrição Parenteral e Enteral).

Foi desenvolvido por um robusto grupo multicêntrico composto por mais de 30 pesquisadores de renomadas instituições, sendo que o Brasil foi representado pelo Dr.  Dan Waitzberg (Faculdade de Medicina/USP), Dra. Isabel Correia (UFMG-BH) e Dra. Christina Gonzalez (PUC/Pelotas -RS).

O GLIM permite ter uma visão global e ampla da definição e caracterização da desnutrição. Sua abordagem é prática e deve ser aplicada em duas etapas. A primeira é avaliar risco de desnutrição por meio de instrumentos já validados, e a segunda diagnosticar e classificar a gravidade da desnutrição.

São cinco os critérios utilizados para diagnosticar a desnutrição. Eles são divididos em fenotípicos e etiológicos, sendo que os fenotípicos são: perda de peso involuntária, baixo IMC e massa muscular reduzida. Já os critérios etiológicos são: redução da ingestão alimentar e inflamação/ gravidade da doença. Para ser considerado desnutrido, o paciente deve apresentar ao menos um critério fenotípico e um critério etiológico, como demonstrado na figura abaixo.

É proposto que os critérios fenotípicos sejam utilizados para classificar a severidade da desnutrição, enquanto os critérios etiológicos são apropriados para orientar a intervenção e os resultados esperados na terapia nutricional.

A desnutrição tem grandes impactos no ambiente hospitalar. Pacientes desnutridos apresentam mais complicações, maior mortalidade e maior tempo de internação quando comparados a pacientes hospitalizados eutróficos. Por isso, identificar e classificar a desnutrição é importante para traçar um plano de cuidados nutricionais para auxiliar o paciente em sua jornada hospitalar, desde a internação até a alta hospitalar. Neste sentido, o GLIM pode ser uma importante ferramenta de trabalho para o nutricionista.

Patrocínio:

Referência:

Cederholm T, Jensen GL, Correia MITD, et al. GLIM criteria for the diagnosis of malnutrition – A consensus report from the global clinical nutrition community. Clin Nutr. 2018.

Leia também