Suplementação de selênio e probiótico melhora estado mental de pacientes com Alzheimer

Postado em 15 de janeiro de 2020 | Autor: Marcella Gava

As intervenções foram realizadas em pacientes entre 55 e 100 anos de idade e diagnosticados com a doença

Estudo teve como objetivo determinar os efeitos da suplementação de probiótico e selênio na função cognitiva e status metabólico de indivíduos com doença de Alzheimer (DA). Para isso, foram selecionados pacientes entre 55 e 100 anos de idade diagnosticados com a doença que foram randomizados em um grupo selênio (200µg/dia) mais probiótico (L. acidophilus, B. bifidum e Bifidobacterium longum -2x109UFC/dia de cada) (n=27), grupo selênio (200µg/dia) (n=26), e grupo placebo (n=26). As intervenções foram realizadas durante 12 semanas e foram avaliados peso, altura, IMC, Mini Exame do Estado Mental (MEEM), biomarcadores inflamatórios e de estresse oxidativo (PCR ultra sensível, óxido nítrico plasmático, capacidade antioxidante plasmática total, glutationa, malondialdeído) e perfil metabólico (glicemia de jejum, insulina e perfil lipídico) no inicio e no final do estudo.

Os dados demográficos e variáveis foram semelhantes entre os grupos no inicio do estudo e não houve diferença na quantidade de micro e macro nutrientes ingeridos pelos participantes dos grupos no decorrer do estudo. O grupo selênio+probiótico (GSP) apresentou melhora significativa no MEEM em relação aos grupos selênio (GS) e placebo (GP)(p<0,001). A suplementação com selênio, em comparação ao grupo placebo, apresentou redução significativa de PCR-us, insulina, HOMA-IR, LDL e razão colesterol total/HDL e aumento significativo de glutationa e índice de sensibilidade insulínica. O GSP apresentou redução significativa de PCR-us (p<0,001), aumento significativo da capacidade antioxidante plasmática total (p=0,001) e nível de glutationa (p=0,001) em comparação tanto ao GS quanto ao GP. O GSP também apresentou menores níveis séricos de insulina e HOMA-IR (p<0,001 para ambos), redução de triglicérides (p=0,02), VLDL (p=0,02), LDL (p=0,04) e razão colesterol total/HDL (p=0,005) e aumento do índice de sensibilidade insulínica (p<0,006), em comparação aos outros dois grupos.  Em comparação ao GS, o GSP melhorou o MEEM (p=0,007) e o índice de sensibilidade insulínica (p=0,03) e reduziu significativamente a PCR-us (p=0,01), a glicemia de jejum (p=0,04), insulina (p=0,04) e HOMA-IR. A suplementação de selênio e probiótico reduziu significativamente a expressão gênica de TNF-α (p=0,005) e aumentou a expressão gênica de receptor ativado por proliferador de peroxissoma gama (p=0,002) e receptor de lipoproteína de baixa densidade (p=0,003).

Os autores concluíram que a suplementação de selênio e probiótico durante 12 semanas em pacientes com doença de Alzheimer melhorou a função cognitiva e perfis metabólicos nestes pacientes.

Referência:

Tamtaji OR. Probiotic and selenium co-supplementation, and the effects on clinical, metabolic and genetic status in Alzheimer’s disease: A randomized, double-blind, controlled trial. Clinical Nutrition 38 (2019) 2569-2575.

Leia também