Excesso de carboidrato refinado pode ser o motivo da sua insônia, diz estudo

Postado em 8 de fevereiro de 2020 | Autor: Redação Nutritotal

Pesquisa feita nos EUA mostra que os alimentos podem ter relação com as noites mal-dormidas

Mulher na cama sentada com os olhos fechados e as mãos na cabeça, indicando desconforto provocado pela insônia

A nossa alimentação pode influenciar a qualidade do sono | Imagem: Shutterstock

Passar as noites em claro é um problema que muitos adultos enfrentam, por conta da insônia. E um estudo divulgado no periódico The American Journal of Clinical Nutrition sugere que a dieta pode ser parcialmente culpada por essa situação – mais especificamente, o carboidrato refinado.

Para chegar a essa relação entre a insônia e o consumo excessivo de carboidrato refinado, a pesquisa analisou dados de mais de 50.000 participantes da Iniciativa de Saúde da Mulher nos EUA, por meio de diários alimentares. Os pesquisadores analisaram se as mulheres que adotavam uma dieta com maior índice glicêmico tinham mais chances de terem insônia.

E, como resultado, a pesquisa apontou que mulheres na pós-menopausa que consumiam uma dieta rica em carboidratos refinados, principalmente aqueles com açúcares adicionados pela indústria alimentícia, eram mais propensas a desenvolver a doença.

Insônia x carboidrato

Dos alimentos analisados, alguns dos carboidratos refinados com adição de açúcar incluíam bolos, pães, refrigerantes, geleias, chocolates e sorvetes, além dos açúcares ingeridos separadamente ou adicionados aos alimentos à mesa. Como eles continham um índice glicêmico maior, causavam um aumento mais rápido do açúcar no sangue.

Por outro lado, na pesquisa, as mulheres que seguiam uma dieta com maior quantidade de vegetais, fibras e frutas eram menos propensas a terem problemas com as noites mal-dormidas.

Agora, os cientistas buscam ampliar o foco do estudo para outros públicos para saber se a relação entre a alimentação e a insônia é a mesma. Vale destacar que a pesquisa em questão associou a insônia muito mais ao tipo de carboidrato consumido do que à quantidade de carboidrato consumida. Não podemos esquecer que alimentos com carboidrato também podem ser ricos em vitaminas, minerais e outros nutrientes. Então, não devemos excluí-los da alimentação, mas sim realizarmos boas escolhas com auxílio dos profissionais de saúde.

Leia também: Como melhorar a alimentação para uma boa noite de sono?

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referência bibliográfica:

James G. et al. High glycemic index and glycemic load diets as risk factors for insomnia: analyses from the Women’s Health Initiative. The American Journal of Clinical Nutrition, 2019.

Leia também



Assine nossa newsletter: