5 alimentos que ajudam a regular a tireoide

Postado em 21 de novembro de 2019 | Autor: Redação Nutritotal

Descubra como a dieta está ligada à produção dos hormônios nessa glândula

A tireoide é uma glândula no nosso corpo responsável pela produção de dois hormônios importantes para a função endócrina no organismo: o T3 e o T4. A falta ou o excesso deles podem desencadear em alterações que afetam a saúde do corpo todo. E você sabia que existem alimentos que ajudam a regular a tireoide?

Segundo um estudo divulgado no periódico Journal of Medical Nutrition and Nutraceuticals, a alimentação pode sim estar ligada ao funcionamento da glândula. Isso porque a falta ou o excesso de nutrientes como iodo, selênio, ferro e zinco podem causar mudanças no metabolismo.

De acordo com a nutricionista Roberta Lara, a alimentação saudável e equilibrada é fundamental para regular a saúde da tireoide. “Para os hormônios T3 e T4 serem produzidos, alguns nutrientes possuem papel importante como cofator das vias fisiológicas, ou seja, a deficiência deles pode comprometer a síntese hormonal pela tireoide.”

A seguir, Roberta lista cinco alimentos que ajudam a regular a tireoide. Confira:

Conheça alimentos que ajudam a regular a tireoide

Veja exemplos ricos em nutrientes que colaboram para o funcionamento da glândula.

Mesa com abacate, salmão, azeite e castanhas, alguns alimentos que ajudam a regular a tireoide

Alimentos ricos em ômega 3 são benéficos para a tireoide | Imagem: Shutterstock

Sal iodado ou marinho

O iodo é o principal elemento que atua na produção de hormônios da tireoide, sendo essencial para essa função. A nutricionista Roberta Lara afirma que o aporte endógeno do mineral pode ser por meio da utilização de sal iodado ou marinho na preparação de alimentos, por conter quantidades adequadas do micronutriente. “Contudo, é preciso ter cuidado com as doses utilizadas de sal, por conta dos malefícios que o seu excesso pode gerar no organismo”, explica.

Castanha-do-pará

O selênio é um mineral que atua na produção de enzimas responsáveis pela síntese dos hormônios T3 e T4, na tireoide. A castanha-do-pará, segundo a nutricionista, é a oleaginosa mais rica em selênio encontrada, sendo importante seu consumo diariamente. “Cerca de 1 a 2 castanhas por dia já atendem a recomendação de selênio para adultos”, aponta.

Peixes e algas marinhas

São fontes naturais de iodo, por serem alimentos de origem marinha. “As algas possuem alta concentração do mineral e de outros nutrientes e fitoquímicos que também contribuem com a função tireoidiana. O ideal é incluir na rotina algas como wakame e spirulina, além de peixes como salmão e atum”, sugere Roberta.

Abacate e sementes de chia e linhaça

Esses três alimentos são fontes vegetais de ômegas essenciais, como ômega 3. A nutricionista explica que esse nutriente atua na manutenção da função tireoidiana e contribui para a produção regular dos hormônios T3 e T4.

Leite e derivados

Os derivados do leite também fornecem iodo em sua composição. Roberta afirma que os alimentos contendo esse mineral são incluídos na alimentação para modular a produção de hormônios tireoidianos, em busca de manter a ingestão adequada sem exagerar na adição de sal iodado.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referência bibliográfica:

Roberta Lara é proprietária e responsável técnica do Instituto de Nutrição Roberta Lara. Mestre e doutora em Investigação Biomédica, na área de Concentração Clínica Médica pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (HCFMRP). Pesquisadora colaboradora do Laboratório de Genômica Nutricional (LABGEN) da Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Membro do Núcleo de Nutrição e Saúde Cardiovascular do Departamento de Aterosclerose da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). Membro do Comitê Científico Consultor Institucional Life Sciences Institute (ILSI).

Sharma R. et al. Diet and thyroid – myths and facts. Journal of Medical Nutrition and Nutraceuticals, 2014.

Leia também



Assine nossa newsletter: