5 formas de reduzir os efeitos colaterais do tratamento do câncer de mama

Postado em 17 de outubro de 2019 | Autor: Redação Nutritotal

Alguns hábitos podem contribuir para amenizar os incômodos das terapias

Mulheres que recebem o diagnóstico de câncer de mama precisam se submeter a tratamentos que podem ser considerados agressivos, com o propósito de erradicar a doença de uma vez por todas. E o corpo pode reagir de diferentes formas às cirurgias, quimioterapias e radioterapias. Para se ter uma ideia, um estudo publicado pelo Journal of Clinical Oncology avaliou que esses efeitos colaterais podem variar de vômitos e náuseas até alterações de humor e dificuldades para exercer atividades no trabalho.

Por isso, adotar algumas dicas nutricionais nesse período pode deixar os efeitos colaterais mais brandos ou ainda fazer com que não afetem a qualidade de vida das pacientes.

Como reduzir os efeitos colaterais do tratamento do câncer de mama

Cada paciente reage de uma maneira diferente às terapias. Para aquelas que sentem desconfortos, algumas mudanças na rotina podem ajudar.

Mulher apalpando seio. Ela veste uma camisa branca com um laço rosa, em alusão ao Outubro Rosa, mês de conscientização do câncer de mama.

Manter um ritmo de vida saudável contribui para amenizar os efeitos colaterais das terapias | Imagem: Shutterstock

Tenha uma dieta equilibrada

De acordo com a última diretriz para o tratamento nutricional de pacientes com câncer, desenvolvido pela Sociedade Europeia de Nutrição Clínica e Metabolismo (ESPEN), é recomendável a todos os pacientes seguir um padrão alimentar saudável para evitar qualquer risco que o tratamento da doença possa trazer. Isso pode incluir seguir uma dieta rica em vegetais, frutas e grãos integrais, com ingestão moderada de laticínios.

Fique longe de alguns alimentos

De acordo com a American Society of Clinical Oncology (ASCO), alguns alimentos podem interferir no gerenciamento do ganho de peso em pacientes que estão na fase de tratamento do câncer. Por isso, eles recomendam uma ingestão bastante limitada de gordura, açúcar e farinha refinada.

Evite a retenção de líquidos

Outra consequência que pode ser comum em pacientes que tratam o câncer de mama, segundo a American Society of Clinical Oncology (ASCO), é a retenção de líquidos. Por isso, algumas dicas incluem reduzir a quantidade de sal em sua dieta, evitar ficar em pé por longos períodos, não usar roupas muito apertadas e pesar-se na mesma hora todos os dias para acompanhar as mudanças junto a um profissional de saúde.

Pratique exercícios físicos

Um estudo da Universidade de Wollongong, na Austrália, investigou as consequências do tratamento de câncer de mama em pacientes, que variaram entre dores musculares, ganho de peso e falta de ar. Por esses motivos, os pesquisadores concluíram que a prática de exercícios físicos, acompanhada por um profissional de saúde, pode estar associada à redução desses efeitos colaterais e deve ser incentivada.

Tenha uma boa noite de sono

Uma pesquisa divulgada no periódico Psycho-Oncology analisou a importância de fatores de risco específicos para insônia em mulheres com menos de 4 anos do tratamento de câncer de mama, em estágio inicial. Como resultado, apontaram que fatores ligados ao tratamento podem, de fato, influenciar em noites de sono ruins. Para saber como a sua alimentação é capaz de te ajudar a ter um sono tranquilo, basta clicar aqui.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Hofman M. et al. Cancer treatment side effects in breast cancer patients receiving radiation therapy. Journal of Clinical Oncology, 2016.

Sociedade Europeia de Nutrição Clínica e Metabolismo (ESPEN), 2017.

American Society of Clinical Oncology (ASCO), 2019.

Gho SA. et al. Self-reported side effects of breast cancer treatment: a cross-sectional study of incidence, associations, and the influence of exercise. Universidade de Wollongong, 2013.

Wayne B. et al. The relative importance of specific risk factors for insomnia in women treated for earlystage breast cancer. Psycho-Oncology, 2007.

Leia também



Assine nossa newsletter: