Como deve ser o consumo de leite por adultos

Postado em 2 de setembro de 2019 | Autor: Redação Nutritotal

Será que a bebida pode mesmo trazer benefícios para a saúde desde a infância até quando ficamos mais velhos? Veja o que é mito e o que é verdade

Durante a infância, o leite faz parte da nossa alimentação diária. Enquanto o leite materno ajuda o bebê a se desenvolver, o de vaca é uma fonte de cálcio importante para o crescimento das crianças maiores. Contudo, com o passar dos anos, muita gente acaba abandonando a bebida por achar que não precisa mais das suas propriedades. Mas isso pode ser um erro, porque o consumo de leite entre adultos é tão importante quanto entre as crianças.

Para se ter uma ideia, um estudo feito na Universidade de Copenhagen, na Dinamarca, mostrou que a ingestão de leite e de produtos lácteos por adultos pode estar associada à melhora da composição corporal. E, ainda, que esse consumo pode facilitar a perda de peso em pessoas que fazem dieta de restrição calórica.

Mas se você ainda tem dúvidas dos benefícios e malefícios que o leite de vaca pode lhe trazer na vida adulta, separamos alguns mitos e verdades sobre a ingestão da bebida.

5 mitos e verdades sobre a ingestão de leite por adultos

Veja o que a ciência vem comprovando sobre o consumo da bebida na vida adulta.

Casal sentado à mesa com alimentos. Mulher serve leite ao homem e os dois se olham, sorrindo

O leite pode fazer parte da alimentação diária dos adultos | Imagem: Shutterstock

Tomar leite de vaca pode aumentar o risco de diabetes tipo 2

Mito. O estudo da Universidade de Copenhagen aponta que a ingestão de leite e produtos lácteos pode estar associada a um risco neutro ou até reduzido de diabetes tipo 2. Além disso, o consumo de leite também pode estar associado ao risco reduzido de doença cardiovascular, particularmente de acidente vascular cerebral (AVC).

Alergia e intolerância ao leite são coisas diferentes

Verdade. A chamada intolerância à lactose está relacionada ao carboidrato presente no leite. O efeito acontece quando o organismo tem uma diminuição ou ausência de lactase, que é a enzima que digere e absorve esse tipo de açúcar do leite, chamado lactose. Já a alergia à proteína do leite de vaca (APLV) é mais comum em bebês e mais rara em adultos. E, como o próprio nome diz, trata-se de uma reação alérgica que está relacionada diretamente à proteína presente na bebida.

O cálcio presente no leite pode aumentar a incidência de pedras nos rins

Mito. É verdade que o leite pode ser uma fonte rica em cálcio, mas estudos sugerem que o mineral, se consumido de maneira adequada, pode até ser benéfico para a proteção dos rins. Uma pesquisa feita no Hospital Brigham and Womens, em Boston (EUA), concluiu que uma maior ingestão de cálcio na dieta pode diminuir o risco de formação de cálculos renais em mulheres mais jovens.

Bebidas vegetais não substituem o leite de vaca

Parcialmente verdade. O estudo dinamarquês apontou que bebidas à base de plantas fortificadas com cálcio foram incluídas como uma alternativa aos produtos lácteos nas recomendações nutricionais em vários países. No entanto, do ponto de vista nutricional, o leite de vaca e essas bebidas são alimentos completamente diferentes, já que um provém de origem animal e outro de origem vegetal, como o leite de castanhas ou o leite de coco. Por não conter a proteína do leite de vaca e nem lactose, as bebidas vegetais podem ser ingeridas por quem tem alergia ou intolerância. Mas uma conclusão baseada em evidências sobre os reais benefícios de saúde em humanos pelo consumo de bebidas vegetais ainda precisa de mais estudos.

Idosos podem tomar leite sem medo

Parcialmente verdade. Uma pesquisa divulgada no Journal of the American Dietetic Association sugeriu que pessoas acima de 60 anos podem aumentar com sucesso a ingestão de leite, melhorando significativamente a ingestão de nutrientes essenciais para a saúde. Mas, para isso, é importante que elas tenham o acompanhamento de nutricionistas durante o processo. Não só o leite como qualquer alimento não deve ser consumido em excesso, por isso a importância de consultar o profissional.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Thorning T. et al. Milk and dairy products: good or bad for human health? An assessment of the totality of scientific evidence. University of Copenhagen, 2016.

Barr S. et al. Effects of Increased Consumption of Fluid Milk on Energy and Nutrient Intake, Body Weight, and Cardiovascular Risk Factors in Healthy Older Adults. Journal of the American Dietetic Association, 2000

Curnham GC. et al. Dietary factors and the risk of incident kidney stones in younger women: Nurses’ Health Study II. Channing Laboratory, Department of Medicine, Brigham and Womens’, 2004.

Alergia ao Leite de Vaca, 2019.

Leia também



Assine nossa newsletter: