Dá para evitar o chamado efeito platô após a dieta?

Postado em 2 de março de 2020 | Autor: Redação Nutritotal

Saiba o que é essa reação do corpo e como ela pode afetar a busca pelo emagrecimento

Mesmo para quem segue uma dieta equilibrada e uma rotina de exercícios físicos buscando perder peso, pode acabar se deparando com o efeito platô. Trata-se de uma reação do corpo que faz com que ele “estacione” mesmo recebendo estímulos, ou seja, interrompe o processo de emagrecimento.

De acordo com a nutricionista Cristiane Verotti, isso ocorre porque o corpo se acostuma com a nova condição que foi imposta e passa a gastar menos calorias, desacelerando o metabolismo sem que ninguém perceba.

A seguir, a profissional explica melhor essa relação.

4 mitos e verdades sobre o efeito platô

Essa reação acontece, mas a motivação não deve ser deixada de lado para conquistar os resultados desejados.

Mulher comendo salada. Ela veste uma camisa rosa e segura um tomate-cereja no garfo.

Essa reação é comum em todas as dietas | Imagem: Shutterstock

Ele acontece logo no começo da dieta

Mito. Cristiane diz que, ao iniciar um plano de perda de peso, é esperado que o início do tratamento leve a uma perda mais rápida nas primeiras semanas. Essa velocidade vai sendo reduzida com o tempo e, posteriormente, a pessoa acaba entrando em uma fase de platô.  “Alguns tratamentos mais agressivos fazem com que a queda inicial seja maior e demore mais para atingir o platô. Já tratamentos menos radicais levam a uma perda inicial menor e platô mais rápido, mas a ideia é a mesma”, pontua.

Toda dieta pode desencadeá-lo em algum momento

Verdade. A nutricionista explica que faz parte da estratégia nutricional compreender que mesmo mantendo tudo semelhante, haverá um momento que a curva de perda de peso desacelerará e até mesmo se interrompa. “Nesse momento, existe uma luta entre as forças conscientes que querem fazer emagrecer para que se igualem a forças do corpo que queiram levar ao peso original. Entender isso é fundamental para que não haja desânimo quando a perda começa desacelerar após algumas semanas”, destaca.

Com o efeito platô, o peso perdido não voltará

Mito. Cris afirma que existe muita dificuldade de manter o peso perdido, mesmo sob efeito platô. Segundo ela, existe a questão biológica: o corpo quer manter o peso, e devido a isso, reduz o gasto energético (de forma simples, 30 calorias por quilo perdido) e aumenta o apetite (100 calorias por quilo perdido). “Assim, o esforço da manutenção é eterno enquanto a perda dura alguns meses. A motivação se reduz, porque os benefícios se tornam menos visíveis, embora continuem ali. As metas ficam menos palpáveis, as pessoas se ‘sabotam’, o ritmo de vida muda e não é possível mais focar tanto”, ressalta.

É possível continuar saudável mesmo sob o efeito platô

Verdade. A nutricionista diz que entender que a manutenção é parte ativa do processo de emagrecimento é fundamental para conseguir manter os resultados conquistados. “É nesta hora que as estratégias devem ser mudadas e talvez reduzir ainda mais calorias ou aumentar ainda mais o gasto energético seja necessário, vai depender da recomendação de cada nutricionista para cada paciente”, conclui.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Cristiane Verotti é nutricionista especializada em nutrição clínica e esportiva. Mestre pelo departamento de gastroenterologia da FMUSP. Membro titular da BRASPEN.

Franz MJ, et al. Weight-loss outcomes: a systematic review and meta-analysis of weight-loss clinical trials with a minimum 1-year follow-up. J Am Diet Assoc, 2007.

Polidori D,et. al. How Strongly Does Appetite Counter Weight Loss? Quantification of the Feedback Control of Human Energy Intake. Obesity. 2016.

Leia também



Assine nossa newsletter: