Verdades e mentiras sobre a deficiência de vitamina D

Postado em 23 de março de 2020 | Autor: Redação Nutritotal

Veja os riscos e benefícios da suplementação desse nutriente

Popularmente conhecida como a vitamina do sol, a vitamina D é um nutriente importante para a saúde. E quando se fala em deficiência de vitamina D, muita gente associa o problema às fraturas ósseas e ao risco de doenças que afetam o esqueleto, como é o caso da osteoporose. Mas será que esse efeito é verdadeiro e único?

Confira a seguir o que a ciência sabe a respeito dessa vitamina e de sua respectiva carência:

4 mitos e verdades sobre a deficiência de vitamina D

Para saber se você possui carência de alguma vitamina, é necessário fazer exame de sangue. E suplemente apenas sob orientação de um profissional de saúde.

Mulher com deficiência de vitamina D levando à boca uma pílula branca de suplemento do nutriente.

A melhor forma de obter os nutrientes que precisamos é por meio da alimentação, mas às vezes é preciso suplementar | Imagem: Shutterstock

Doses elevadas da vitamina fortalecem os ossos

Mito. Segundo um estudo publicado no JAMA, altas doses de vitamina D não aumentam a densidade óssea e podem até baixá-la. No estudo, os cientistas ofereceram doses diferentes da vitamina a pacientes sem osteoporose e calcularam a força dos ossos. Como resultado, ocorreu o efeito oposto que eles esperavam: houve um declínio na densidade e força óssea. Mas vale ressaltar que o estudo usou doses elevadas do nutriente, portanto, consulte um profissional de saúde, como um nutricionista, que irá solicitar exames para diagnosticar uma possível carência e recomendar a dose adequada para suplementar.

Apenas adultos podem precisar suplementar o nutriente

Mito. Crianças também podem ter deficiência de vitamina D. Inclusive, um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition apontou que a otimização do status do nutriente em crianças pode melhorar a saúde cardiovascular. Mas mais pesquisas precisam ser feitas para comprovar esses benefícios.

A deficiência de vitamina D na infância pode estar relacionada a problemas de comportamento na adolescência

Verdade. Um estudo do The Journal of Nutrition avaliou que a baixa absorção de proteínas da vitamina D em crianças, ou mesmo sua carência, podem estar ligadas a problemas de comportamento na adolescência e, posteriormente, em depressão e esquizofrenia em adultos.

Quem tem carência do nutriente pode ter o risco de mortalidade reduzido ao suplementar adequadamente

Verdade. Um estudo divulgado pelo British Medical Journal mostrou que, apesar de a suplementação de vitamina D não ajudar a diminuir todas as causas de mortalidade, ela pode estar associada a um risco reduzido em pacientes com câncer, em até 16% dos casos. Mas mais estudos são necessários para comprovar os reais benefícios da suplementação.

E onde encontrá-la?

Podemos oferecer vitamina D ao nosso organismo por meio da ingestão de alimentos como carnes, peixes, queijos, leite, ovos e cogumelos, além do que faz jus ao seu apelido: pela absorção dos raios solares.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Burt L. et al. Effect of High-Dose Vitamin D Supplementation on Volumetric Bone Density and Bone Strength. JAMA, 2019.

Rajakumar K. et al. Effect of vitamin D3 supplementation on vascular and metabolic health of vitamin D–deficient overweight and obese children: a randomized clinical trial. American Journal of Clinical Nutrition, 2020.

Robinson S. et al. Vitamin D Deficiency in Middle Childhood Is Related to Behavior Problems in Adolescence. The Journal of Nutrition, 2020.

Yu Z. et al. Association between vitamin D supplementation and mortality: systematic review and meta-analysis. British Medical Journal, 2019.

Leia também



Assine nossa newsletter: