Quem está com câncer pode comer carne vermelha? Teste seus conhecimentos sobre alimentação e a doença

Postado em 20 de fevereiro de 2020 | Autor: Redação Nutritotal

Saiba o que é melhor comer e o que evitar durante o tratamento

As fake news sobre câncer são muitas, ainda mais as que relacionam a doença à alimentação. De fato, alguns hábitos alimentares podem contribuir com a prevenção e tratamento da enfermidade, mas não é tudo o que se ouve por aí que tem comprovação científica. Por exemplo, muita gente se questiona se quem está com câncer pode comer carne vermelha, consumir açúcar… São diversas as dúvidas que surgem e saber identificar o que é verdade (e o que não é) é muito importante para não contribuir com as fake news e colaborar com os pacientes.

Para começar, vale se atentar às recomendações dos órgãos que são autoridade no assunto, como o Instituto Nacional de Câncer (INCA). De acordo com a entidade, ter uma alimentação rica em alimentos de origem vegetal (como frutas, legumes, verduras, cereais integrais, feijões e outras leguminosas) e que seja ao mesmo tempo pobre em alimentos ultraprocessados pode prevenir novos casos de câncer. Esses mesmos cuidados, segundo o órgão, podem também servir de recomendação às pessoas que tiveram o diagnóstico, incluindo aquelas que superaram a doença.

E para que você saiba mais sobre a relação entre a dieta e o câncer, montamos o teste a seguir. Responda e tire suas principais dúvidas a respeito da alimentação para quem está na luta contra a doença:

Teste: alimentação x câncer

Escolha uma alternativa para cada uma das perguntas abaixo.

Mulher sentada à mesa sorrindo e segurando uma maçã. Ela veste lenço na cabeça.

Alimentação adequada pode contribuir com o tratamento de pacientes | Imagem: Shutterstock

1 – Quem está com câncer pode comer carne vermelha. Essa afirmação é:


Acertou quem respondeu B. De acordo com o Guia Alimentar para a População Brasileira do Ministério da Saúde, as carnes vermelhas são excelentes fontes de proteína de alta qualidade e têm teor elevado de muitos micronutrientes, como ferro, zinco e vitamina B12. Há evidências de que o consumo excessivo de carnes vermelhas pode aumentar o risco de câncer de intestino. Segundo o INCA, o seu consumo pode ser limitado a 500 gramas de carne cozida por semana.

2 – Quem tem câncer precisa cortar todo o açúcar da dieta. Essa afirmação é:


Se você disse A, acertou. Segundo o Cancer Research UK, é verdade que as células cancerígenas precisam de muita glicose, mas cortar o açúcar da dieta não ajuda a parar o crescimento do câncer nem impede que ele se desenvolva. Isso porque todas as células saudáveis ​​também precisam de glicose, e não há como controlar isso no corpo. O que mais preocupa os profissionais de saúde é o consumo do açúcar adicionado (como adoçantes e edulcorantes presentes em alimentos industrializados, açúcar de mesa adicionado a alimentos, e doces em geral), que contribuem para o ganho de peso e, consequentemente, para o câncer. Já os açúcares naturalmente encontrados em alimentos como frutas, leites e cereais integrais não devem ser cortados da alimentação.

3 – Qual destes grupos alimentares é contraindicado para a alimentação de quem enfrenta o câncer?




Ponto para quem respondeu a alternativa C. Como recomendação tanto para a prevenção quanto para o tratamento do câncer, o INCA sugere o consumo diário de alimentos como frutas, legumes, verduras, cereais integrais, feijões e outras leguminosas, sementes e nozes. No caso das bebidas industrializadas, elas devem ser evitadas por terem alo teor calórico e poucas fibras. Como substituto, a sugestão é beber suco de frutas natural sem adição de açúcar ou adoçantes.

4 – O gengibre pode ser um aliado na alimentação de quem está em tratamento do câncer. Isso é:


A resposta certa é A, verdade. Um estudo da Phytotherapy Research mostrou evidências que sugerem que o consumo de gengibre possa reduzir náuseas na fase aguda da quimioterapia em pacientes com câncer de mama. Mas vale ressaltar que mais ensaios clínicos de alta qualidade são necessários para concluir essa relação, e que mesmo sendo uma planta popular, o uso só deve ser feito se indicado por um profissional de saúde, que avaliará se não existem riscos com a utilização, determinará a dose, o melhor período e forma de consumo.

Para ler mais conteúdo sobre o que a ciência já descobriu de relação entre a alimentação e o câncer, clique aqui.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Instituto Nacional de Câncer, 2019.

Guia Alimentar para a População Brasileira, 2014.

Sugar and cancer – what you need to know, 2017.

Ali T. et al. The effect of Ginger (Zingiber officinale) on chemotherapy-induced nausea and vomiting in breast cancer patients: a systematic literature review of Randomized Controlled Trials. Phytotherapy Research, 2019.