fbpx

53% dos alunos de ginásio comem mal

Postado em 22 de dezembro de 2006 | Autor: Patricia Logullo

“Os fatores biológicos, que conferem risco para o desenvolvimento de doenças crônicas, estão diretamente relacionados com as opções de comportamento feitas na infância e na adolescência”, afirmam os autores de um estudo brasileiro sobre sobrepeso e obesidade entre adolescentes. O trabalho avaliou a prevalência de risco cardiovascular associado ao estilo de vida de escolares matriculados entre a quinta e a oitava séries do ensino fundamental, e verificou que é alta a ocorrência de hábitos alimentares inadequados e sedentarismo.

Entre 2001 e 2002, foram visitadas 30 escolas de São Paulo, 52,7% delas públicas, nas quais foram entrevistados 2.125 estudantes.  A amostra representa 2% dos alunos matriculados nas regiões estudadas. “Com o progredir das séries, cresce o risco de uso de cigarro e bebida alcoólica”, comentam os autores. Mas, por outro lado, “reduz-se o risco de hábito alimentar inadequado e excesso de peso, independentemente do sexo e da condição pública ou privada da escola”.

Como “de alimentação inadequada”, o estudo identificou um perfil de hábito caracterizado pela colocação adicional de sal na comida já preparada, menor consumo de frutas e laticínios e maior uso de refrigerantes, gorduras e salgadinhos. O levantamento verificou que a prevalência desse hábito inadequado (de 53,3% do total da amostra) pode chegar a 77% dos meninos nas escolas privadas de quinta série — antes 23% dos meninos de escolas públicas de sétima série. De modo geral, há tendência de queda dessa prevalência entre meninas de ambos os tipos de escola e entre meninos dos colégios privados, com o passar do tempo.

A prevalência de sobrepeso e obesidade foi de 24%, sendo 26% nas escolas privadas e 22% nas públicas (p = 0,035). O sedentarismo também preocupou os pesquisadores: abrangeu 15,4% dos alunos, foi mais prevalente nas escolas públicas. As meninas freqüentam menos as aulas de educação física que os garotos. “O reconhecimento precoce do risco cardiovascular associado ao estilo de vida fundamenta práticas preventivas de educação em saúde nas escolas”, apregoam os autores.

Prevalência de hábito alimentar inadequado        

Sexo e escola/série

quinta

sexta

sétima

oitava

Menina, escola privada

76%

70%

65%

61%

Menina, escola pública

52%

49%

24%

37%

Menino, escola privada

77%

65%

68%

55%

Menino, escola pública

45%

43%

23%

43%

Bibliografia

Nobre MRC, Domingues RZL, Silva AR et al. Prevalências de sobrepeso, obesidade e hábitos de vida associados ao risco cardiovascular em alunos do ensino fundamental. Rev Assoc Med Bras. 2006;52(2):118-24.

Leia também