fbpx


As diversas indicações para uma consulta ao nutricionista

Postado em 10 de outubro de 2008

Especialistas devem ser consultados para acompanhar o tratamento de diversas doenças e também para proporcionar mais bem-estar

Quando se fala em nutricionista, não raramente vêm à cabeça uma dieta de emagrecimento ou algo do gênero. Não é todo mundo que possui a consciência de que este profissional também é indicado para assistir a pacientes com problemas de saúde diversos, como diabetes, hipertensão ou controle das taxas de colesterol, triglicérides, doença inflamatória intestinal, só para citar alguns.

De acordo com a nutricionista Luciana Coppini, da equipe do Ganep Nutrição Humana, uma consulta deve ser feita mesmo quando não há nenhum problema diagnosticado. É uma medida essencial para a prevenção e a melhora da saúde e da disposição.

“É um especialista que deve acompanhar qualquer pessoa desde sempre. A mãe, quando deixa de amamentar seu bebê, deve procurar uma nutricionista para as primeiras orientações. Assim auxilia na introdução de novos alimentos e garante o equilíbrio da alimentação”.

À medida que a criança cresce, a avaliação é importante para detectar excesso de peso e/ou carência de nutrientes essenciais para o desenvolvimento, por exemplo. Para as mães, as orientações poderão tornar a rotina das refeições mais simples e prazerosas, com dicas para despertar o interesse da criança nos diferentes alimentos e em cardápios saudáveis e divertidos.

Problemas de gente grande
É na adolescência que os problemas mais graves tendem a acontecer. Distúrbios alimentares como anorexia nervosa ou a bulimia são muito perigosos. Pais e educadores devem estar preparados para identificar quando há algo errado.

“A ida regular à nutricionista é muito relevante no tratamento destes distúrbios. O paciente corretamente orientado tem mais chances de se recuperar com saúde, reduzindo a probabilidade de recaídas”, afirma Luciana.

Outros problemas freqüentemente relatados nos consultórios de nutricionistas, segundo Luciana, são constipação, dislipidemias, diabetes, estresse, ansiedade, cansaço, fraqueza, sonolência excessiva, desânimo e insônia. Para todos eles, o cuidado com a alimentação pode ser a chave de uma vida mais saudável.

A consulta
Durante a consulta, além de uma longa conversa sobre as rotinas, hábitos alimentares, queixas e dúvidas, diversos exames são realizados para determinar com precisão diversas informações.

“O nutricionista realiza exames antropométricos, que determinam peso, estatura e índice de massa corpórea (IMC); faz um diagnóstico da composição corporal, diferenciando massa muscular, gordura corpórea e água; e pode solicitar exames bioquímicos, para avaliar as quantidades de vitaminas, ferro, colesterol e glicemia”.

Também é possível submeter o paciente a exames de composição corporal com impedância bioelétrica e calorimetria indireta, que determina o energético basal do paciente.

“Por meio da medição do oxigênio e gás carbônico expirados, avaliamos as reservas calóricas no organismo e a velocidade com que são consumidas. O exame é fundamental para equilibrar a combinação de atividade física e alimentação aos objetivos do indivíduo. Já a impedância bioelétrica (BIA), ou bioimpedância, é um método rápido de análise de compartimentos corporais, tais como massas magra e gordurosa. A impedância é a medida da resistência do organismo à passagem de uma corrente elétrica de baixa intensidade e alta freqüência”.

Cuidado com as armadilhas
Quando se fala de dietas para emagrecimento, o que não faltam são regimes tidos como ‘infalíveis’ e receitas caseiras que prometem milagres. Portanto, todo cuidado é pouco.

“Devemos estar atentos com as informações divulgadas nos mais diferentes meios de comunicação sobre métodos rápidos e fáceis de perder peso. Mas inclusive as regrinhas e tabelas divulgadas em revistas devem ser utilizadas com precaução. Até mesmo estas simples informações devem ser analisadas e complementadas por um profissional, que solicitará exames adicionais, se necessário”, pondera Luciana.

Seguir por conta própria uma dieta sugerida em uma revista pode representar um sério risco à saúde. “Além de hipercolesterolemia, anemia e fraqueza, que são as conseqüências mais freqüentes, é muito comum o emagrecimento rápido e descontrolado vir seguido de um ganho de peso muitas vezes além daquele perdido”.

Assine nossa newsletter: