fbpx


CATETER IMPREGNADO DE PRATA X INFECÇÃO Cateteres impregnados de prata podem reduzir as infecções relacionadas a cateteres?

Postado em 27 de dezembro de 2002

Newsletter Nutritotal Nutrição Parenteral XXVI

CATETER IMPREGNADO DE PRATA X INFECÇÃO

Cateteres impregnados de prata podem reduzir as infecções relacionadas a cateteres?

The Erlanger silver catheter: in vitro results for antimicrobial activity. Bechert T, Boswald M, Lugauer S, Regenfus A, Greil J, Guggenbichler JP. Infection 1999;27 Suppl 1:S24-9

A atividade antimicrobiana de um cateter de polímero impregnado de prata (cateter de prata Erlanger® ) foi demonstrada pela determinação da aderência microbiana à superfície do cateter e por medidas dos índices de proliferação (viabilidade) de microrganismos nesta região. Sobre a superfície de um cateter impregnado com prata, de acordo métodos previamente descritos, a aderência bacteriana do Staphylococcus epidermidis foi reduzida em 28 a 40%. A proliferação bacteriana na superfície do cateter e a produção de biofilme foram também substancialmente reduzidas pela elução de prata livre de íons do cateter matriz. As atividades bacteriostáticas e bactericidas foram determinadas. A eficácia antimicrobiana do cateter de prata não foi reduzida pelos componentes sangüíneos. Não houve perda da atividade antimicrobiana durante semanas após a pré-incubação em água ou tampão fosfato. A atividade antimicrobiana depende da extensão da superfície ativa de prata.

Reduced rates of catheter-associated infection by use of a new silver-impregnated central venous catheter. Boswald M, Lugauer S, Regenfus A, Braun GG, Martus P, Geis C, Scharf J, Bechert T, Greil J, Guggenbichler JP. Infection 1999;27 Suppl 1:S56-60

Um cateter venoso central com nova forma de impregnação com prata das superfícies interna e externa foi avaliado para a atividade antimicrobiana e tolerância em pacientes em um estudo clínico randômico, prospectivo, controlado e comparativo. Como controles, foram utilizados cateteres disponíveis comercialmente e que não apresentavam qualquer atividade antimicrobiana. Foram incluídos na avaliação final 165 cateteres, todos inseridos pela via percutânea pela primeira vez em um período maior ou igual a cinco dias. Foi, então, realizado um exame microbiológico das extremidades dos cateteres. A localização do cateter (em mais que 90% dos casos na veia jugular interna), a média de duração da cateterização (oito a nove dias), a idade dos pacientes e o diagnóstico foram comparáveis em ambos os grupos. Cateteres com as extremidades impregnadas de prata mostraram uma incidência de colonização de 14,2/1.000 dias de cateterização e de 22,8/1.000 dias no grupo controles. Isso representa uma redução de 37,7%. Infecções diretamente relacionadas ao cateter foram diagnosticadas no grupo prata em 5,26/1.000 dias de cateterização e em 18,34/1.000 dias no grupo controle, indicando uma taxa de redução de 71,3% (p < 0,05, teste Qui-quadrado). Não foram documentadas complicações ou efeitos colaterais em qualquer dos grupos do estudo.

Reducing catheter-associated infections with silver-impregnated catheters in long-term therapy of children. Carbon RT, Lugauer S, Geitner U, Regenfus A, Boswald M, Greil J, Bechert T, Simon SI, Hummer HP, Guggenbichler JP. Infection 1999;27 Suppl 1:S69-73.

Cateteres venosos centrais de longa permanência oferecem segurança, amplo acesso ao lúmen vascular, com índices de alto fluxo para a liberação de nutrição ou para perfusões e infusões de conteúdo celular. Infecções associadas ao cateter (CAI) representam uma grande ameaça ao acesso vascular, mesmo na presença de medidas preventivas. Neste artigo, foram apresentados um estudo prospectivo e outro retrospectivo de CAI em terapia pediátrica. Estudo I. Investigação retrospectiva (1990 a 1995) de 60 cateteres convencionais de longo prazo em 50 pacientes. O número total de dias nos quais os cateteres foram colocados foi 11.818. A incidência calculada de CAI foi 1/1.000 dias da inserção do cateter. Testes bacteriológicos demonstraram que infecções associadas ao cateter (microrganismos isolados de maneira semelhante tanto na extremidade do cateter quanto na cultura de amostras de sangue) ocorreram em três instâncias (5%). Cinco casos (8,3%) foram diagnosticados com um quadro clínico séptico, resistente à terapia. Estudo II. Foi realizada uma comparação randômica e prospectiva entre cateteres de longa permanência impregnados de prata (cateteres de prata Erlanger® ) e cateteres-controle (da Quinton Instrument Co.) com 41 pacientes (20 com cateteres de prata, 21 com cateteres Quinton). Os cateteres de prata se distinguiram pela esterilidade, enquanto três casos de CAI foram demonstrados com os cateteres comparados. Um paciente necessitou de cuidados intensivos depois de se apresentar instável com sinais de choque séptico e identificação de Pseudomonas aeruginosa e dois outros pacientes manifestaram estafilococos coagulase-negativos na extremidade do cateter. Em três dos nove cateteres-controle, detectou-se uma incidência de 1,18/1.000 dias de cateteres localizados, enquanto nenhuma CAI ocorreu com os oito cateteres de prata testados microbiologicamente.

COMENTÁRIOS

A instituição da nutrição parenteral propriamente dita é um fator de risco para ocorrência de contaminação e infecção relacionada ao cateter venoso central. A taxa de contaminação ou infecção do cateter pode ser reduzida em grande parte quando um protocolo de cuidados assépticos é meticulosamente seguido.

A eficácia antimicrobiana da prata contra as bactérias Gram-positivas e negativa é amplamente conhecida in vitro. No entanto, sabe-se que depende tanto da estrutura química do antimicrobiano como da incorporação da prata e de sua combinação com o material do cateter.

Nos trabalhos descritos, discute-se se os cateteres impregnados de prata podem reduzir as infecções relacionadas ao cateter na prática clínica. Os autores demonstraram benefícios como: redução da aderência bacteriana à superfície da sonda, redução da incidência de infecção, medida em dias e, conseqüentemente, redução das complicações por infecção relacionada ao cateter.

Novas tecnologias como a dos cateteres impregnados de prata devem ser consideradas na prática clínica, pois oferecem uma estratégia para prevenção e redução de infecções relacionadas ao cateter em pacientes submetidos à nutrição parenteral. São alternativas que tornam a nutrição parenteral mais segura e, portanto, aprimoram seus índices de sucesso, pois permitem sua utilização por prazos maiores.

Por: Dra. Juliana R. Martins Terra
Médica do GANEP – Grupo de Nutrição Humana

Assine nossa newsletter: