fbpx


Impedância detecta alterações teciduais na desnutrição

Postado em 2 de maio de 2003 | Autor: Patricia Logullo

Estudo realizado com 279 pacientes internados para cirurgia na Santa Casa de Misericórdia de Pelotas (RS) verificou que a análise da bioimpedância (BIA, do inglês bioimpedance analysis) não é método tão eficaz na detecção da desnutrição quanto a avaliação subjetiva global (ASG), mas pode identificar mudanças nos tecidos que são indicativas da diminuição da massa celular corpórea (MCC).

A MCC é uma medida, feita pela impedância bioelétrica, do compartimento celular do organismo (ou seja, da massa total do organismo retirando-se os componentes extracelulares, como fluidos e gordura, por exemplo). Portanto, MCC é medida da massa metabolicamente ativa do organismo. O que ocorreu no estudo de Pelotas é que a porcentagem de MCC (%MCC) $#8213; ou a proporção MCC/peso corpóreo total $#8213; não foi indicativa de desnutrição, tomando-se a ASG como padrão. No entanto, a MCC total mostrou tendência de diminuição conforme a ASG mostrava maiores índices de desnutrição.

De acordo com os autores, esses resultados indicam que, provavelmente, no curso de instalação da desnutrição, outros compartimentos corporais que não os celulares também diminuem. Assim, não apenas a MCC, mas a massa extracelular se deprimem na depleção nutricional.

Você sabe o que é impedância bioelétrica?

Referência (s)

Barbosa-Silva MC, Barros AJ, Post CL, et al. Can bioelectrical impedance analysis identify malnutrition in preoperative nutrition assessment? Nutrition. 2003;19(5):422-6.

Assine nossa newsletter: