fbpx

Lula reúne ministros no combate à fome

Postado em 3 de janeiro de 2003 | Autor: Camila Garcia Marques

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva encontrou-se com seu ministério pela primeira vez com o combate à fome na pauta da reunião. No discurso da fome, demonstrou sua preocupação com o estado nutricional do brasileiro e centrou como meta de governo que todos tenham acesso a três refeições por dia, no mínimo.

Luiz Inácio Lula da Silva deixou claro, em sua campanha eleitoral, no primeiro anúncio após a eleição e, finalmente, no discurso de posse como presidente, que, na área social, sua prioridade será combater a fome. Para isso, propôs um projeto chamado Fome Zero, que tem como objetivo colocar alimento na mesa de 9,3 milhões de famílias.

O Fome Zero atuaria por meio da distribuição de cupons de alimentação proposta que, por ter sido duramente criticada Lula reúne ministros no combate à fome, foi substituída pela distribuição de dinheiro destinado à compra de alimentos , entrega de cestas básicas emergenciais em áreas mais críticas, como as regiões de seca no Nordeste, e também a criação de restaurantes populares, com refeições a preço de custo. A Fome Zero abrange também um banco de alimentos, programas de combate à desnutrição materno-infantil e ampliação do já existente Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT).

O número de famílias pobres que não têm o que comer cresceu muito nos últimos anos e hoje atinge 54 milhões de brasileiros, segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). A situação inspira diversas campanhas de distribuição de alimentos que vêm sendo projetadas e executadas no Brasil além do Fome Zero.

Iniciativas

A campanha Natal sem fome, iniciada em 1993 pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, e organizada pela Ação da Cidadania Contra a Fome, a Miséria e Pela Vida, tem como objetivo arrecadar alimentos não-perecíveis e distribuir a milhares de famílias carentes. A abertura deste ano do projeto aconteceu em 20 de outubro, no Aterro do Flamengo, comemorando seu décimo ano. Arrecadou 115 toneladas de alimentos, batendo o recorde de sua história. A primeira doação deste ano foi realizada em 3 de novembro, beneficiando mais de 600 comitês da Ação da Cidadania com 67 toneladas de biscoitos e caixas de sucos de frutas. Até 20 de dezembro do ano passado, 3.635 toneladas de doações foram distribuídas para a população.

O Banco Rio de Alimentos é mais um programa de solidariedade que visa combater a fome e a desnutrição em nosso país. É uma iniciativa do Serviço Social do Comércio, Administração Regional do Rio de Janeiro (Sesc Rio). Alguns de seus colaboradoressão pessoas físicas ou empresas como o Habib´s, WalMart Supercenter, a indústria de alimentos Coqueiro, entre outros. O projeto tem como objetivo recolher alimentos em perfeitas condições em restaurantes e entregá-los a instituições idôneas de assistência social, que os distribuem aos necessitados. Do ano de 2000 até novembro de 2002, foram coletados 478.474 quilos de alimentos, em que 475.020 foram distribuídos e puderam complementar 1.878.648 refeições.

A Pastoral da Criança é vista como uma das mais importantes organizações comunitárias a trabalhar em áreas de saúde, nutrição e educação da criança. O principal objetivo da instituição é permitir que cada indivíduo possa gerar as condições para seu próprio desenvolvimento, e não a distribuição de alimentos. “Acho perigoso a Pastoral distribuir alimentos, porque o dia que estiver faltando cestas básicas, a pessoa pode não comparecer mais aos nossos postos por falta de motivação”, falou a sanitarista Zilda Arns, chefe da Pastoral, ao Nutritotal. “Nossa metodologia visa transformar as pessoas em agentes de mudança de sua vida e da comunidade. Nós promovemos a cidadania” comentou. “As campanhas contra a fome são muito bem vindas, mas não é isso que vai erradicar a fome de nosso país. A população deve ser motivada a ajudar as famílias”.

* colaborou Patricia Logullo

Leia também