fbpx

Análise Crítica dos Protocolos Nutricionais à Luz das Evidências Clínicas

Postado em 25 de maio de 2009 | Autor: Nara Lúcia Andrade Lopes Segadilha

naral37@gmail.com

OBJETIVO: Discutir a importância dos protocolos nutricionais (PN) para indicação e avaliação da ingestão de suplementos orais (SO) nos pacientes hospitalizados.

DISCUSSÃO: O controle de qualidade da atenção nutricional ao paciente hospitalizado se inicia com a padronização de todo o processo de assistência. O desenvolvimento de PN para identificação do risco nutricional ou do estado de desnutrição per se na admissão hospitalar possibilita estabelecer a melhor forma de alimentação a ser instituída, assim como PN para a avaliação da ingestão alimentar possibilita intervenções nutricionais precoces. São vários os fatores que contribuem para a redução da ingestão alimentar no paciente hospitalizado, o que potencializa o seu estado de desnutrição. Segundo Patel (2008), a doença aguda, a anorexia, os problemas de cavidade oral, a disfagia e oscilações de humor são algumas das razões para uma ingestão alimentar inadequada em pacientes idosos hospitalizados(2). SO podem contribuir para melhorar a ingestão de nutrientes nos pacientes hospitalizados e estão indicados em pacientes idosos desnutridos ou em risco de desnutrição(3). Porém, o sucesso da terapia nutricional depende da aceitação dos SO com a consequente adesão ao tratamento. Darmon et al (2008) relata que a aceitabilidade e ingestão de SO é diretamente depende do sabor, da textura e do odor desses(1).

CONCLUSÃO: É fundamental a normatização de PN para indicação e avaliação da ingestão de SO em pacientes hospitalizados em risco nutricional ou previamente desnutridos.

REFERÊNCIAS:

1. Darmon P, Karsegard VL, Nardo P, et al. Oral nutritional supplements and taste preferences: 545 days of clinical testing in malnourished in-patients. Clin Nutr. 2008 Aug;27(4):660-5. Epub 2008 Jul 14.

2. Patel MD, Martin FC. Why don’t elderly hospital inpatients eat adequately? J Nutr Health Aging. 2008 Apr;12(4):227-31.

3. Volkert D, Berner YN, Berry E, et al. ESPEN Guidelines on Enteral Nutrition: Geriatrics. Clin Nutr. 2006 Apr;25(2):330-60.

Leia também