fbpx

AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO CORPORAL DE PACIENTES RENAIS CRÔNICOS NO PRÉ E PÓS HEMODIÁLISE

Postado em 25 de março de 2009 | Autor: Sena MGS; Freitas BSA; Andrade FT

Instituição: Clínica de Nefrologia do Piauí(CLINEFRO)

Objetivos

Verificar a composição corporal bicompartimental de pacientes com Insuficiência Renal Crônica no pré e pós-diálise. Verificar possíveis alterações na composição corporal no pré e pós-hemodiálise; Identificar a magnitude do risco de deterioração do estado nutricional por meio da Impedância Bioelétrica; Diagnosticar o estado nutricional dos pacientes no pós hemodiálise; Enfatizar a importância da adoção do acompanhamento da composição corporal como procedimento de rotina em paciente hemodialisados.

Materiais e métodos

Delineamento: Tipo caso-controle;Local: Clínica Nefrológica do Piauí;Total de 120 pacientes em hemodiálise;Formalização da adesão à pesquisa;Comitê de ética em pesquisa População e amostra Amostragem não probabilística por voluntários Constituição da amostra:104 indivíduos de ambos os sexos Composição do grupo controle Tamanho amostral:43,3% (n =52) da população 58% (n=20) eram do sexo feminino e 62% (n=32) do sexo masculino Grupo controle: mesma constituição; Critérios de inclusão: faixa etária maior que 21 anos; com diagnóstico de IRC; estar inserido no programa de Terapia Dialítica na Clínica. Coleta de dados-O instrumento utilizado foi testado, revisado e aperfeiçoado, antes de sua aplicação – elaboração de ficha Variáveis % gordura corporal % de água corporal % de massa corpórea magra kg de massa gorda kg de massa magra água corpórea total índice de massa corporal (IMC) ângulo de fase Obtenção das variáveis Base de dados lançados no software que acompanha o analisador de composição corporal Mensurações antropométricas (peso e altura) balança eletrônica filizola com plataforma de pesagem com estrutura tubular e capacidade/divisão para 180kg/100g. A aferição da estatura foi realizada em estadiômetro, fixo à parede, com braço móvel e escala em milímetros, com os pacientes descalços e bem posicionados para maior precisão na medida Técnicas de aplicação avaliação da composição corporal – (IB) A determinação dos componentes corporais – resistência e reactância corporal, medidos utilizando-se um analisador de composição corporal (modelo BIA 101Q, RJL Systems, Detroit) Parâmetros para diagnóstico das variáveis consideradas Tratamento estatístico Construção do banco de dados e a análise estatística – programa Microsoft Excel versão 2003 e Pré-hemodiáliseSPSS versão 13.0, construindo-se, ao final, seis grupos Pré-hemodiálise masculino xfeminino x pós-hemodiálise feminino  Pré-hemodiálise feminino x controle feminino pós-hemodiálise masculino Pré-hemodiálise masculino xPós-hemodiálise feminino x controle feminino Pós-hemodiálise masculino x controle masculino Oscontrole masculino resultados:média ± desvio padrão. Resultados estatisticamente significativos: p<0,05, com intervalo de confiança de 95% teste “t” de Student

Resultado

Em todos os casos estudados verificou-se uma queda quanto às variáves ÁGUA CORPÓREA TOTAL, MASSA MAGRA, IMC e ÂNGULO DE FASE, que se comportaram de maneira uniforme. De maneira contrária e expressa através de gráficos, percebeu-se um aumento acentuado da MASSA GORDA.

Conclusão

Com base nos resultados e na análise das variáveis fisiológicas e antropométricas tomadas como base para aferir a composição corporal de pacientes renais crônicos em terapia dialítica, concluiu-se que a monitorização das possíveis alterações na composição corporal, associadas àquela patologia, no pré e pós-hemodiálise, transcendem a meras alterações da água corpórea, abrangendo, inclusive, alterações significativas no que tange à massa magra e à massa gorda.

Unitermos

IRC; Bioimpedância

Leia também