fbpx

DESENVOLVIMENTO DE UM INSTRUMENTO DE TRIAGEM NUTRICIONAL PARA AVALIAÇÃO DO RISCO DE MÁ-NUTRIÇÃO NA ADMISSÃO HOSPITALAR

Postado em 25 de março de 2009 | Autor: Kuhmmer R, et al.

Autores: Kuhmmer R; Almeida JC; Silva ACP; Zamboni P; Royer HM; Laflor CM; Weber B

Instituição: Hospitalar Moinhos de Vento

Objetivos

Desenvolver um instrumento de triagem para avaliação do risco de má-nutrição para ser utilizado na admissão hospitalar.

Materiais e métodos

Foram avaliados 7934 pacientes durante a anamnese nutricional na admissão hospitalar através de um instrumento composto por 15 itens relacionados à alteração ponderal; alterações gastrointestinais; hipertermia; inapetência alimentar, capacidade funcional alterada; necessidades dietoterápicas específicas; idade e IMC. Escores distintos foram atribuídos em cada fator considerado na triagem nutricional para salientar condições de maior risco nutricional. Os pacientes foram classificados em 4 níveis de risco nutricional: sem risco, baixo, moderado e alto risco nutricional.

Resultado

Dos pacientes avaliados 50,9% foram do sexo feminino, idade 62,5±18 anos, IMC= 26,4±5 kg/m2 e tempo de permanência hospitalar de 8±13 dias. Observou-se uma proporção de 56% de pacientes com sobrepeso e obesidade, 41,6% de pacientes com IMC dentro da normalidade e 2,4% de pacientes com baixo peso. Dos pacientes avaliados subjetivamente (40%), 1171 (39,8%) foram classificados com o peso acima do normal, 596 pacientes (20,3%) estavam com peso abaixo do normal e 1176 pacientes (40%) foram classificados como eutróficos. Dentre os fatores identificados observou-se a incidência de NPO prolongado em 0,2%, alteração ponderal significativa em 1,5%, diarréia 1,2%, vômito 1,1%, náusea 3,1%, inapetência alimentar 4,3%, hipertermia 0,9%, necessidades dietoterápicas específicas 69,7%, dieta por sonda e complicações 2,3%, capacidade funcional 9,5% e 85% receberam escore de acordo com patologia de base. Dos pacientes avaliados 11,9% dos pacientes não apresentaram risco nutricional, 40,9% baixo risco, 36,5% moderado e 10,6% alto risco nutricional.

Conclusão

A triagem para avaliação de risco de má-nutrição na admissão hospitalar possibilitou coletar informações necessárias para criar um plano nutricional e monitorar a adequação da terapia nutricional e da evolução do paciente durante o período de internação.

Unitermos

Risco nutricional, avaliação nutricional

Leia também