fbpx

GLUTAMINA E HORMONIO DO CRESCIMENTO MELHORAM A ADAPTAÇÀO INTESTINAL APÓS RESSECÇÃO MACIÇA DO INTESTINO DELGADO EM RATOS

Postado em 3 de agosto de 2005

J. E. Aguilar-Nascimento1, J. M. Spadoni2, B. Spadoni2, J. S. Neves1, M. G. Gomes da Silva3

1Departamento de Clínica Cirúrgica, Universidade Federal de Mato Grosso, 2 Departamento de Cirurgia UNIC, 3Departamento de Nutrição, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, Brasil

Objetivo: A adaptação intestinal após ressecção maciça do intestino continua a ser um problema para pacientes com síndrome do intestino curto. Glutamine e hormônio do crescimento (HG) talvez tenham um grande papel nesse contexto. Assim, nós investigamos o efeito do HG e da glutamina na resposta adaptativa do intestino após ressecção maciça em ratos.

Métodos: Vinte e quatro ratos Wistar machos foram submetidos a 80% de ressecção do intestino delgado e após, randomizados para receber uma dieta padrão (AIN-93) (grupo controle) ou a mesma dieta acrescida de glutamina a 4% de modo isocalórico e nitrogenado (grupo estudo). No pós-operatório, os ratos do grupo estudo receberam subcutaneamente 0.6 UI/dia de HG e os animais controles, solução fisiológica. A mucosa do intestino ressecado foi coletada, pesada e enviada para mensuração do conteúdo de DNA. Biópsias do jejuno e íleo foram enviadas para análise histomorfométrica. Grupos de 6 animais foram sacrificados no 5o e 14o dias para estudos. Na necropsia o intestino remanescente foi ressecado e os mesmos parâmetros de mensuração acima foram realizados. Anova de medidas repetidas foi realizada para comparações. Foi estabelecido um nível de significância estatística de 5% (p<0.05).

Resultados: Todos animais perderam peso sem diferença entre grupos. O peso da mucosa ileal no grupo estudo foi mais pesada do que nos controles (0,75[0,66-0,84]g vs. 0,62[0,53-0,71]g; p=0,04). Tanto no jejuno (78,0 [66,0-90,1] vs. 44,6 [33,1-56,1]g/cm; p<0,001) quanto no íleo (92,3 [78,4-106,3]g/cm vs. 61,9 [48,0-75,9]g/cm; p=0,004) o conteúdo de DNA foi maior no grupo estudo. A profundidade da cripta e a altura dos vilos foram maiores no grupo estudo no 5o dia de PO.

Conclusões: A glutamina associada ao HG melhora a adaptação intestinal após ressecção maciça do intestino delgado em ratos.

Leia também