fbpx

IMPEDÂNCIA BIOELÉTRICA EM GESTANTES COM PRÉ-ECLÂMPSIA

Postado em 25 de março de 2009 | Autor: Silva EG, et al.

Autores: Silva EG; Peraçoli JC; Carvalhaes MABL; Hirakawa HS

Instituição: Faculdade de Medicina de Botucatu – UNESP

Objetivos

Analisar os parâmetros diretos (resistência e reactância) e indiretos (água corporal total, intra e extracelular) fornecidos pela impedância bioelétrica em gestantes portadoras de pré-eclâmpsia e compará-los com os resultados obtidos em gestantes saudáveis.

Materiais e métodos

Foi realizado estudo transversal ocorrido no período de março de 2006 a julho de 2007. A casuística foi composta de gestantes internadas na maternidade do HC-FMB- UNESP que conpuseram o grupo pré-eclâmpsia (n=65) e de gestantes acompanhadas no ambulatório de pré-natal do HC-FMB- UNESP que formaram o grupo saudável (n=51). As gestantes elegíveis apresentaram como critérios de inclusão: No grupo saudável (C) ser primigesta saudável e idade gestacional superior a 28 semanas e no grupo pré-eclâmpsia (PE) ser portadora de pré-eclâmpsia sem outras complicações clínicas ou obstétricas. Foram excluídas do estudo gestantes com gestação múltipla, outras compliacações clínicas pré-existentes ou decorrentes da gravidez, usuárias de droga ou álcool, gestantes com uso de medicação diurética. Os critérios de descontinuidade foram: parto em utro serviço e desenvolvimento de outras patologias durante a gravidez após aavaliação. O tamanho amostral foi de 51 gestantes do grupo C e 65 do grupo PE. As variáveis estudadas consistiram em idade cornológica e gestacional, peso pré-gestacional, peso atual, estatura, índice de massa corporal pré-gestacional e atual, ganho de peso, proteinas totais, albumina, avaliação da bioimpedância (tetrapolar e freqência única) para obtenção dos valores de resistência, reactância, água corporal total (ACT), ágia corporal corrigida para a gestação (ACTcor), água intra e extracelular (em litros e porcentagem). Os dados foram ajustados para idade gestacional, idade materna e índice de massa corporal pré-gestacional. Foram analisadas as covariancias (ANCOVA) e aplicado o teste de Tuckey. Para as variáveis independentes, sem influencia das covariaveis, foi aplicado o teste T. O valor de significância adotado foi de 5%.O trabalho obteve parecer favorável do comitê de ética em pesquisa da Faculdade de Medicina de Botucatu previamente a sua execução.

Resultado

Os grupos diferiram quanto à idade cronológica, peso pré-gestacional, índices de massa corporal pré-gestacional e atual, e ganho de peso semanal, os quais foram significativamente maiores no grupo PE. Diferiram ainda nos valores de proteínas totais e albumina, sendo estes significativamente menores neste mesmo grupo. O grupo PE apresentou menores valores de resistência (448Ω v 542 Ω ), reactância (40Ω v 53 Ω) e água intracelular (49,45% v 51%) quando comparados com o grupo C . O grupo PE apresentou maiores valores de água corporal total (49% v 47%) ,água corporal total corrigida (41,6% v 34%), água extracelular (50% v 47%).

Conclusão

Conclui-se que a impedância bioelétrica mostrou que existem diferenças entre os grupos estudados, tanto para os parâmetros diretos como para os indiretos. Embora os segundos sejam melhores para ilustrarem os processos fisio-patológicos, auxiliando na compreensão dos mecanismos envolvidos na pré-eclâmpsia, os primeiros, de mais fácil obtenção, foram suficientes e podem ser úteis na atenção a mulheres com alto risco de pré-eclâmpsia.

Unitermos

impedância bioelétrica, gestação, pré-eclâmpsia

Leia também