fbpx


NOVOS SUBSTRATOS LIPÍDICOS X SISTEMA IMUNE Qual o papel dos lípides na imunidade humana?

Postado em 5 de junho de 2002

Newsletter Nutritotal Nutrição Parenteral VI

NOVOS SUBSTRATOS LIPÍDICOS X SISTEMA IMUNE

Qual o papel dos lípides na imunidade humana?

Effects of parenteral lipid emulsions with different fatty acid composition on immune cell function in vitro. Granato D, Blum S, Rossle C, Le Boucher J, Malnoe A, Dutot G. JPEN J Parenter Enteral Nutr 2000; 24(2): 113-8.

Leucócitos humanos de voluntários saudáveis foram incubados com dois tipos diferentes de emulsão lipídica: uma emulsão com base em óleo de oliva (ClinOleic®) e outra com base em óleo de soja (Intralipid® ou Ivelip®). Linfócitos ou monócitos/macrófagos foram estimulados com fitohemaglutinina (PHA) ou lipopolissacáride (LPS), e sua proliferação foi avaliada por incorporação de [3H]-timidina. Os subtipos de linfócitos e marcadores de ativação linfocitária (CD-25 e HLA-DR) foram medidos por citometria de fluxo e a liberação de citocinas (IL-2, IL-1-beta e TNF-alfa) foi mensurada pelo método ELISA. A incubação com Intralipid® ou Ivelip® causou menor incorporação de timidina, decréscimo da expressão de antígenos de ativação linfocitária tanto em células T CD4+ quanto CD8+ e decréscimo da produção de IL-2, enquanto a incubação com ClinOleic não mostrou estes efeitos. Tanto Intralipid® quanto ClinOleic® inibiram com a mesma intensidade a produção de citocinas pró-inflamatórias (TNF-alfa, IL-1-beta). Em conclusão, emulsão lipídica com base em óleo de oliva pode modular seletivamente a resposta imunológica, mantendo a imunidade protetora e reduzindo a resposta inflamatória.
Obs: TNF = fator de necrose tumoral; IL = interleucina

Parenteral supplementation with a fish-oil emulsion prolongs survival and improves rat lymphocyte function during sepsis. Lanza-Jacoby S, Flynn JT, Miller S. Nutrition 2001; 17(2): 112-6.

Após sofrerem ligadura cecal e punctura (CLP), ratos foram randomizados para receber por via parenteral solução fisiológica, dieta contendo óleo de soja (OS) ou dieta contendo uma emulsão 1:1 de óleo de soja e óleo de peixe (OS:OP). Foram observadas a taxa de sobrevida e a resposta dos linfócitos-T. Houve significativa diferença entre as taxas de sobrevida dos diversos grupos: no grupo que recebeu OP, havia 50% de ratos vivos após 120 h da CLP; no grupo que recebeu OS, havia 12% de ratos vivos após 120 h da CLP e no grupo que recebeu solução salina havia 0% de ratos vivos após 120 h da CLP. Os linfócitos T foram analisados 24 h após a CLP. Houve um declínio na proliferação de linfócitos no grupo que recebeu OS, que estava associado a produção aumentada de IL-10, TGF-beta e PTE2. Em conclusão, a administração de emulsão 1:1 OS:OP durante sepse aumentou a sobrevida e preveniu a supressão da proliferação de linfócitos induzida pela sepse.
Obs: TGF = fator de crescimento tumoral; IL = interleucina

Parenteral structured triglyceride emulsion improves nitrogen balance and is cleared faster from the blood in moderately catabolic patients. Kruimel JW, Naber TH, van der Vliet JA, Carneheim C, Katan MB, Jansen JB. JPEN J Parenter Enteral Nutr 2001; 25(5): 237-44.

Estudo randomizado e duplo-cego, no qual pacientes que foram submetidos a cirurgia para implantação de prótese aórtica receberam nutrição parenteral total (NPT) contendo ou emulsão de triglicérides estruturados ou emulsão com uma mistura física de triglicérides de cadeia média e longa. A NPT proveu 0,2 g de nitrogênio por kg corpóreo/dia, e a necessidade energética foi calculada utilizando-se a equação de Harris-Benedict, adicionando-se 300 kcal/dia pela atividade. O balanço nitrogenado acumulado nos primeiros cinco dias de pós-operatório foi menos negativo no grupo que recebeu a emulsão de triglicérides estruturados. No primeiro dia de pós-operatório os níveis plasmáticos de ácidos graxos livres e triglicérides aumentaram menos durante a infusão da emulsão de triglicérides estruturados do que da emulsão de mistura física de triglicérides.

COMENTÁRIOS

As emulsões lipídicas, além de fornecerem substrato energético, podem alterar a composição das membranas plasmáticas e, deste modo, alterar diversas funções celulares, como atividades enzimáticas, transporte de substâncias, recepção e regulação de processos, bem como a produção de prostaglandinas e leucotrienos. Os lipídios têm, assim, um impacto importante em diversas funções fisiológicas, como hemodinâmica, oxigenação, estado imunológico e metabolismo. Devido a estes múltiplos efeitos, o uso parenteral de emulsões lipídicas tem estado sob crescente investigação, sendo que várias emulsões novas estão sendo avaliadas no momento.

Nos artigos expostos acima, pudemos ver o efeito de três destas emulsões. O artigo de Granato e colaboradores nos mostra os efeitos da emulsão a base de óleo de oliva em células in vitro. O óleo de oliva é rico em ácidos graxos monoinsaturados (ômega-9), e uma emulsão deste tipo contém menos quantidade de ácidos graxos polinsaturados (ômega-6 e ômega-3). A razão para a utilização desta emulsão provém de evidências de que o uso de dietas mediterrâneas, que são ricas em óleo de oliva, está associado a uma baixa incidência de aterosclerose e coronariopatias. Estudos clínicos trazem evidências de que dietas deste tipo melhoram tanto o perfil lipídico quanto o glicêmico. Este trabalho nos mostra que há evidências de que o óleo de oliva também apresenta efeitos no sistema imunológico, por meio da alteração da ativação e funcionamento de linfócitos.

O uso de óleo de peixe como substrato para nutrição parenteral total tem sua origem na observação epidemiológica da menor prevalência de mortalidade relacionada à aterosclerose nos esquimós da Groenlândia, que possuem alimentação rica em óleo de peixe, comparados com a população holandesa. O óleo de peixe é rico em ácido graxo poliinsaturado ômega-3 (PUFA ômega-3), que exerce um efeito protetor contra o desenvolvimento de doenças inflamatórias e cardiovasculares. A base bioquímica para estes benefícios pode ser devida à ação inibitória do PUFA ômega-3 sobre a via da ciclooxigenase, que metaboliza o ácido araquidônico para as séries 2 de prostaglandinas e tromboxane A2. O artigo de Lanza-Jacoby e colaboradores nos mostra que o uso de emulsão lipídica contendo óleo de peixe pode reduzir a resposta inflamatória na sepse, reduzindo significantemente a mortalidade em animais de experimentação.

Os triglicérides de cadeia média (TCM) são um constituinte valioso por sua rápida hidrólise e absorção no trato gastrointestinal, assim como por seu transporte direto para o sangue portal e fígado. Nos estudos iniciais, a infusão de TCM se associou a sintomas indesejáveis como hipercetonemia, narcose, hiperlactacidemia e toxicidade para o sistema nervoso central. Os lípides estruturados constituem um novo tipo de gordura sintetizada originalmente com várias combinações de triglicerídeo de cadeia longa (TCL) e óleo de coco, resultando numa mistura randomizada de triglicerídeos contendo diferentes ácidos graxos de cadeia média e longa. Existem alguns estudos mostrando que lípides estruturados seriam superiores a misturas de TCL/TCM. O estudo de Kruimel e colaboradores, por exemplo, nos mostra que a administração parenteral de lípides estruturados melhora o balanço nitrogenado e é associado com menores concentrações de triglicérides plasmáticos em pacientes no pós-operatório quando comparadas com emulsões TCM/TCL. Mais estudos são necessários para se estabelecer com maior precisão os mecanismos envolvidos nestes efeitos, bem como o papel exato que os lípides estruturados desempenharão na nutri
ção parenteral total do futuro.

Por: Dr. Mauricio S. Galizia
Médico, graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – FMUSP

Assine nossa newsletter: