fbpx

Pacientes gravemente enfermos se beneficiam da suplementação de antioxidantes?

Postado em 8 de janeiro de 2003 | Autor: Patricia Logullo

Estresse oxidativo tem sido associado com o desenvolvimento de síndrome da angústia respiratória aguda (SARA) e falência de órgãos por lesão tecidual e ativação de genes da resposta inflamatória. Além disso, depleção de antioxidantes endógenos tem sido associada com aumento do risco de infecção nosocomial. O objetivo deste estudo foi determinar a efetividade da suplementação precoce de antioxidante alfa-tocoferol e ascorbato na redução da taxa de morbidade pulmonar e disfunção de órgãos de pacientes cirúrgicos gravemente enfermos. Este estudo randomizado e prospectivo comparou resultados de pacientes que receberam suplementação de antioxidantes alfa-tocoferol e ascorbato contra aqueles que receberam cuidado padrão. Foram analisados: morbidade pulmonar (medida composta por SARA e pneumonia nosocomial), desenvolvimento de falência múltipla de órgãos, duração de ventilação mecânica, tempo de internação em unidade de terapia intensiva (UTI) e mortalidade. De 595 pacientes incluídos no estudo, 91% foram vítimas de trauma. Os resultados mostraram que pacientes que receberam suplementação de antioxidantes alfa-tocoferol e ascorbato apresentaram menor duração de ventilação mecânica e tempo de internação em (UTI), menor risco relativo (RR) para morbidade pulmonar (RR, 0,81; 95% intervalo de confiança (IC), 0,60-1,1) e falência múltipla de órgãos (RR, 0,43; 95% IC, 0,19-0,96) em comparação com aqueles que receberam cuidado padrão. Em conclusão, suplementação precoce de antioxidantes alfa-tocoferol e ácido ascórbico reduz a incidência de falência de órgãos e tempo de internação em UTI de pacientes cirúrgicos gravemente enfermos. A ausência de efeitos adversos e custo mínimo sugere que esta população se beneficia desta intervenção terapêutica.

Referência (s)

Nathens AB, Neff MJ, Jurkovich GJ, et al. Randomized, prospective trial of antioxidant supplementation in critically ill surgical patients. Ann Surg. 2002;236(6):814-22.

Leia também