Série Micronutrientes – Qual a importância do Magnésio para a saúde?

Postado em 29 de abril de 2019 | Autor: Natália Lopes

O magnésio é um dos minerais mais abundantes no corpo humano, facilmente obtido pela alimentação

O magnésio é um dos minerais mais abundantes no corpo humano. Sua principal função é estabilizar a estrutura de ATP nos músculos e tecidos moles, mas também está envolvido no transporte de íons potássio e cálcio, proliferação celular, controle da estabilidade cardíaca, tônus vasomotor, pressão sanguínea e transmissão neuromuscular, além de participar como cofator de mais de 100 reações enzimáticas.

A importância se dá, também, pela interação no metabolismo de outros nutrientes, como cálcio, potássio, fósforo, zinco, cobre, ferro, chumbo, cadmio, ácido clorídrico, acetilcolina, óxido nítrico e tiamina.

O magnésio é facilmente ingerido pela alimentação, através de vegetais folhosos, legumes, produtos marinhos, nozes, cereais e derivados do leite, atingindo um consumo diário que varia entre 120 a 500mg/d. A absorção de 30 a 50% desse conteúdo da dieta ocorre no íleo e cólon. O corpo armazena cerca de 24g de magnésio, sendo que 60 a 65% desse conteúdo está no tecido ósseo, 27% no tecido muscular e 6% em outros tecidos. A excreção de magnésio ocorre pela urina, e é influenciada por hormônios da tireoide, acidose, depleção de fosfato e potássio que aumentam sua excreção.

A melhor forma de avaliar o conteúdo de magnésio corporal é pela dosagem no plasma, e deficiências normalmente estão associadas a distúrbios na absorção e/ou aumento da excreção renal. A hipomagnesemia atinge cerca de 10% dos pacientes hospitalizados e os principais sintomas são: anorexia, náusea, vômito, letargia e fraqueza. O risco de toxicidade está associado ao uso de antiácidos em grande quantidade ou acontecem em pacientes que recebem infusões intravenosas, como nutrição parenteral, com altas doses de magnésio.

 

Tabela 1. Ingestão de referência de magnésio

Idade EAR (mg/d)

H / M

RDA (mg/d)

H / M

0 – 6 meses 30
6 a 12 meses 75
1 – 3 anos 65 80
4 – 8 anos 110 130
9 – 13 anos 200 / 200 240
14 – 18 anos 340 / 300 410 / 360
19 – 30 anos 330 / 255 420 / 310
> 30 anos 350 / 265 420 / 320
Gestantes 290 a 335 350 a 400
Lactantes 255 a 300 310 a 360

EAR = necessidade média estimada; RDA = ingestão dietética recomendada

Referência:

COZZOLINO, Silvia M. Franciscato. Biodisponibilidade de nutrientes. 5ed. São Paulo: Editora Manole, 2016.

Dietary Reference Intakes (DRIs)

Leia também