fbpx


Transplante de intestino delgado: o caso dos gêmeos

Postado em 17 de abril de 2003 | Autor: Patricia Logullo

Médicos dos Departamentos de Nutrição, Transplante e Medicina Nuclear do Hospital Universitário de Genebra uniram-se para acompanhar por quatro anos e descrever o caso de um transplante de intestino delgado realizado entre gêmeos monozigóticos. O transplante intestinal pode representar a independência da terapia nutricional parenteral em pacientes com intestino curto, mas pouco se sabe sobre os efeitos da operação na composição corpórea e no crescimento de crianças, como neste caso, em que os irmãos tinham 13 anos de idade.

Os irmãos ― um deles portador de síndrome do intestino curto e o outro saudável ― foram submetidos a antropometria e a avaliação de composição corpórea por impedância bioelétrica e densidade mineral óssea de fêmur. Testes de xilose e medidas da gordura fecal serviram para avaliar a absorção intestinal. Esses exames foram realizados antes e depois do transplante.

Peso corpóreo cresceu de 34,7 para 51,9 kg no gêmeo receptor e de 45 para 53,2 kg no doador ao longo dos quatro anos de avaliação. Já em dois anos, o receptor alcançou o irmão em termos de altura e de massa magra. No entanto, massa gorda e densidade mineral óssea femoral permaneciam mais baixas no paciente que recebeu o intestino em comparação a seu irmão quatro anos após o transplante. Teste de xilose mostrou valor anormalmente baixo após quatro anos e gordura fecal estava aumentada dois anos depois da cirurgia no receptor, enquanto que o doador manteve esses níveis normais, exceto por um episódio de alta nos ácidos fecais cerca de 10 meses após o procedimento.

Os autores do trabalho avaliam que o transplante intestinal melhorou o estado nutricional e permitiu o crescimento do receptor, embora composição corpórea, densidade mineral óssea e absorção intestinal não tenham sido normalizadas quatro anos após a cirurgia.

Referência (s)

Genton L, Raguso CA, Berney T, et al. Four year nutritional follow up after living related small bowel transplantation between monozygotic twins. Gut. 2003;52(5):659-62.

Assine nossa newsletter: