fbpx

Como a alimentação pode ajudar a acelerar os resultados na academia?

Postado em 28 de agosto de 2019 | Autor: Sueli Longo

Descubra agora como a dieta pode ajudar a trazer os resultados benéficos

Sueli Longo

Sueli Longo* é nutricionista

Esta é uma pergunta que ouvimos com bastante frequência no consultório: como a alimentação pode ajudar a acelerar os resultados na academia? Sobre ela, é importante esclarecermos alguns pontos. A alimentação e o exercício físico são complementares, ou seja, um nunca substituirá o outro. E a execução inadequada de um – ou de ambos! – pode até interferir no resultado desejado.

Outro ponto importante é que não existe milagre, ou seja, ter um padrão alimentar saudável e fazer exercício físico com frequência são ações benéficas à saúde e devem ser encorajadas desde a infância. Mas os resultados aparecem a médio e longo prazo e estão diretamente relacionados à incorporação da mudança para um estilo de vida mais ativo. Resultados rápidos, normalmente não se sustentam – pois é, não existe milagre!

Um treino bem elaborado e executado é o primeiro passo para se obter o resultado desejado. Da mesma forma, uma alimentação planejada para fornecer a energia e os nutrientes necessários para sua rotina diária e de treinamento irá melhorar o resultado do exercício físico.

Uma alimentação com um alto consumo de frutas, legumes e verduras, cereais e pães integrais, grãos, feijões, castanhas, sementes, consumo moderado de carne, ovos, aves, leites e derivados, baixa quantidade de açúcares, gorduras e sal e, por fim, consumo frequente de água constitui uma excelente base para quem deseja melhorar os resultados do exercício físico.

Alimentação para academia: é preciso suplementar?

Os alimentos são nossa melhor opção de energia e nutrientes. Já os suplementos nutricionais são indicados apenas quando os alimentos não conseguirem atingir as nossas necessidades diárias de energia e nutrientes. São situações muito específicas caracterizadas normalmente quando o volume de treinamento é elevado.

É importante lembrar que ao promover a prática do exercício físico, estamos estimulando que o indivíduo gaste mais energia e contribua com o bom funcionamento de seu organismo. Atualmente, somos seres economizadores de energia em função do sedentarismo cotidiano. Por isso, não pense que ao começar a se exercitar sua necessidade de energia e nutrientes será maior. Isso não acontece na maioria dos casos e, por muitas vezes, não conseguimos nem equiparar o quanto gastamos de calorias com o que estamos consumindo.

Temos de ter em mente que de um lado temos de nos preocupar em executar um treino adequado às nossas necessidades e objetivos e que haja frequência, intensidade, duração e persistência no mesmo. Do outro lado, que nossa alimentação tenha qualidade e quantidade compatíveis com nossos gastos diários.

Para quem quer começar a treinar, não são recomendadas dietas restritivas em alimentos e nutrientes. Em um padrão alimentar saudável não há espaço para restrições, proibições, “dia do lixo”, “detox”, isso é dieta da moda, cujos resultados podem ser interessantes a curto prazo, porém a médio e longo prazo, não se sustentam. Por isso temos diariamente novos modismos. Será que eles te ajudam ou estão tirando você do foco? Não se sabote!

*Sueli Longo é nutricionista e mestre em Comunicação Social. Especialista em Nutrição em Esporte e Nutrição em Cardiologia, possui pós-graduação em Nutrição Clinica.  É membro da diretoria da Sociedade Brasileira de Alimentação (SBAN 2019-2021), sócia-proprietária do Instituto de Nutrição Harmonie e autora dos livros Manual de nutrição para o exercício físico e Nutrição do exercício físico ao esporte. Foi eleita Destaque Profissional 2016 no Prêmio Eliete Salomon Tudisco, na categoria Nutrição Esportiva; e nutricionista da Seleção Brasileira Masculina de Handebol (2000- 2005).

Leia também