fbpx


Alimentos termogênicos: o que são e como agem no organismo?

Postado em 18 de agosto de 2021 | Autor: Colunistas Convidados

Gabriela Lemos

Gabriela Lemos é médica nutróloga*

Alimentos termogênicos são aqueles que promovem um aumento no gasto de energia no nosso corpo através da queima de calorias para produção de calor. Eles agem principalmente aumentando a atividade do tecido adiposo marrom ou estimulando a transformação do tecido adiposo branco no tecido adiposo bege ou marrom.

O processo de termogênese é natural e fundamental no controle de temperatura corporal nos mamíferos. A termogênese induzida pelos alimentos contribui com aproximadamente 5-10 % do nosso gasto energético total e pode ser uma ferramenta auxiliar valiosa na perda de peso e, principalmente, na manutenção do peso.

Diferenças

Dentre as substâncias termogênicas, existem aquelas que exercem seu efeito por meio do aumento da atividade de um determinado sistema por ação no sistema nervoso central (estimulantes) e aquelas que exercem seu efeito termogênico sem envolver a estimulação do sistema nervoso central (não estimulantes).

As substâncias estimulantes podem provocar aumento na frequência cardíaca e nos níveis de pressão sanguínea e podem causar ainda alguns sintomas neurológicos, como insônia e agitação. Já as substâncias não estimulantes não apresentam efeitos cardiovasculares e neurológicos significativos.

Essas substâncias, extraídas dos alimentos e em doses apropriadas, são utilizadas frequentemente como suplementos alimentares para perda de peso. No entanto, o uso deles deve ser feito sob orientação e acompanhamento profissional.

Exemplos de alimentos termogênicos

São exemplos de alimentos com propriedades termogênicas com os respectivos princípios ativos envolvidos:

  • Estimulantes: café (cafeína), Ephedra sinica (efedrina), chá verde (cafeína + catequinas)
  • Não estimulantes: pimenta vermelha (capsaicina), laranja azeda (p sinefrina), café verde (ácido clorogênico), batata-doce, abóbora, beterraba, mamão-papaia, manga, brócolis, espinafre (carotenoides), ervilhas, amendoim, grão-de-bico, feijões-de-lima, favas, lentilhas, sementes de linhaça (isoflavonas), frutas de coloração avermelhada e chocolate (flavonoides).

Muitos suplementos utilizam a combinação de diferentes princípios ativos com ação termogênica, a fim de potencializar a queima de calorias. Ainda assim, o aumento no gasto energético é modesto (até 4-8%) e essa estratégia deve ser utilizada de maneira auxiliar na perda de peso, ou na manutenção o peso perdido, juntamente com estratégias de mudança no estilo de vida.

Para uma alimentação equilibrada, o consumo dessas substâncias deve ser feito de maneira diversificada e em quantidades adequadas. Converse com o seu médico ou nutricionista.

 

Referências bibliográficas:

Stohs SJ, Badmaev V. A Review of Natural Stimulant and Non-stimulant Thermogenic Agents. Phyther Res. 2016;30(5):732–40.

Dulloo AG. Translational issues in targeting brown adipose tissue thermogenesis for human obesity management. Vol. 1302, Annals of the New York Academy of Sciences. 2013. p. 1–10.

*Gabriela de Oliveira Lemos (@nutro.gabilemos) é graduada em Medicina pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Possui residência em clínica médica pela Universidade de Brasília (UnB) e em nutrologia pela Universidade de São Paulo (USP). Tem pós-graduação em Nutrição Aplicada ao Exercício pela EEFE-USP. É pesquisadora do Laboratório de Nutrição e Cirurgia Metabólica do Aparelho Digestivo (LIM) 35 da USP.

-

Assine nossa newsletter: