fbpx


Comer pipoca ajuda a emagrecer? Veja mitos e verdades sobre esse alimento

Postado em 11 de maio de 2020 | Autor: Redação Nutritotal

Descubra se essa opção de lanche pode ser mais saudável

Por ser de milho, e nada mais, muita gente pensa que a pipoca ajuda a emagrecer. Contudo, a realidade não é bem assim. O alimento pode trazer benefícios à saúde, porém, é preciso tomar cuidado com o preparo.

Isso porque ao preparar a pipoca, incluímos outros ingredientes além do milho, como óleo e temperos. E a escolha deles pode impactar nos nutrientes que iremos ingerir. Um estudo publicado pelo periódico Antioxidants aponta que a pipoca é uma opção frequentemente consumida com adição de gordura e sal, ingredientes que, se ingeridos em excesso, podem afetar negativamente a dieta e a saúde.

A pesquisa também mostra que a pipoca é um alimento que ajuda a saciar a fome mais do que outros lanches e sobremesas, como por exemplo, a batata frita. Para saber mais sobre ela, separamos alguns mitos e verdades a seguir.

Pipoca ajuda a emagrecer? Saiba mais sobre ela

O alimento tem propriedades benéficas, mas deve ser consumido do jeito certo.

Balde de pipocas com pipocas jogadas em fundo vermelho

O alimento é fonte de polifenóis | Imagem: Shutterstock

Pipoca não tem calorias

Mito. De acordo com dados apontados pela Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TACO), uma porção de 100 g de pipoca feita com óleo de soja e sem a adição de sal tem, em média, 448 kcal.

Ela pode ser uma opção de lanche para quem quer emagrecer

Verdade. O estudo feito pelo Antioxidants avaliou que a pipoca pode ser considerada uma escolha prudente para quem deseja reduzir a sensação de fome enquanto gerencia a ingestão de energia e o peso corporal. Mas vale ressaltar que é importante consultar um nutricionista para elaborar o plano alimentar mais adequado para cada pessoa.

Pipoca de micro-ondas é ruim para a saúde

Verdade. Um artigo publicado pela Revista Científica da FAMINAS comparou diferentes tipos de pipocas. Como conclusão, os pesquisadores apontaram que as pipocas de micro-ondas salgadas devem ser evitadas por conta do risco à saúde associado ao seu consumo frequente com a sua composição nutricional, que é rica em gorduras saturadas, trans e sódio.

A pipoca não tem grandes quantidades de polifenóis e antioxidantes

Mito. Um artigo da American Chemical Society apontou que há uma grande quantidade de polifenóis presentes na pipoca, em especial na casca do milho. Ele também mostrou que o alimento é rico em fibras e antioxidantes e que a melhor maneira de prepará-la para aproveitar seus nutrientes é estourando-a com a pressão do ar, assim como as máquinas pipoqueiras costumam fazê-la.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Coco M. et al. Analysis of Popcorn (Zea Mays L. var. Everta) for Antioxidant Capacity and Total Phenolic Content. Antioxidants, 2019.

Marinho B. et al. Composição centesimal do teor de sódio e gorduras em pipocas de micro-ondas comercializadas em uma cidade da Zona da Mata mineira e seus possíveis riscos para a saúde dos consumidores. Revista Científica da FAMINAS, 2017.

Vinson J. Popcorn: The snack with even higher antioxidants levels than fruits and vegetables. American Chemical Society, 2012.

Tabela Brasileira de Composição de Alimentos, 2011.

Assine nossa newsletter: