fbpx

Como identificar um alimento orgânico?

Postado em 28 de março de 2019 | Autor: Redação Nutritotal

Mais saudáveis e nutritivos que ingredientes com agrotóxicos, é preciso se atentar para não ser enganado na hora de comprá-los

Mulher segurando cesta de verduras e legumes

Os orgânicos são melhores à saúde | Imagem: Shutterstock

Um alimento orgânico é aquele que foi produzido de maneira natural, sem o uso de agrotóxicos, transgênicos e fertilizantes sintéticos. Porém, eles são mais difíceis de encontrar nos mercados e, quando disponíveis, possuem um custo mais alto devido à produção.

A procura deles é maior ultimamente por conta de trazerem mais benefícios à saúde. Segundo a nutricionista Iara Waitzberg Lewinski, de maneira geral os alimentos orgânicos são mais frescos e suculentos.

“A produção de alimentos orgânicos contribui com a conservação dos recursos naturais, preservando a qualidade e fertilidade do solo, assim como a qualidade da água e do ar”, Iara Waitzberg Lewinski, nutricionista

E consumir alimentos orgânicos tem sim benefícios comprovados. Existem alguns estudos científicos que relacionam a ingestão excessiva de agrotóxicos em geral com o aumento de inflamações e até doenças graves, como o câncer, por exemplo. Além disso, Iara ressalta que a maioria dos agrotóxicos não pode ser removida das plantas. “Existem algumas técnicas de higienização das hortaliças com bicarbonato de sódio, entretanto se trata de um processo muito trabalhoso e que reduz pouca quantidade de agrotóxicos”, salienta.

Outro ponto a ser observado é que esses produtos químicos são lipossolúveis, ou seja, passam pela gordura. Um animal que consome ração com agrotóxicos fica com os químicos impregnados em sua musculatura. Com isso, a carne dos animais apresenta, de maneira geral, conteúdo maior de agrotóxicos do que os vegetais. Por isso, optar pelo orgânico pode servir como uma garantia que o consumidor tem para evitar esses problemas de saúde.

E para tentar identificar se um produto é ou não orgânico, Iara lista algumas dicas e fatos a respeito do assunto:

  • Busque um revendedor de confiança: Isso porque as características do alimento orgânico não podem ser detectadas com facilidade e somente algumas pessoas com paladar mais apurado conseguem distinguir o sabor mais fresco e intenso dos alimentos orgânicos, em especial de frutas e verduras.
  • Não se apegue ao tamanho: Existe um mito de que o alimento orgânico seria menor em comparação ao mesmo alimento cultivado com agrotóxicos, entretanto não é incomum vermos frutas e hortaliças orgânicas tão grandes quanto às que não seguem esse tipo de cultivo.
  • Procure pelo selo de certificação: A não ser que o consumidor conheça o produtor e a origem do alimento, a única maneira de ter a garantia de um alimento orgânico é com a presença do selo de identificação deste meio de produção. O selo, em questão, é o concedido pelo Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Orgânica (SisOrg), um órgão que é responsável por credenciar e fiscalizar os produtos que possuem essa origem.
  • E o leite orgânico? Um estudo divulgado pelo Journal of Agriculture and Chemistry Food apontou que o leite orgânico pode ser identificado por meio de isótopos na sua fórmula, mas somente cientistas conseguiram comparar a versão com e sem agrotóxicos.
  • Dá para comer até a casca: Os alimentos orgânicos podem ser consumidos de maneira integral, ou seja, cascas, sementes e talos também podem ir à mesa. Essas partes dos alimentos normalmente são descartadas pela maioria das pessoas, o que é um grande desperdício, pois são partes comestíveis ricas em fibras alimentares, vitaminas e minerais.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Iara Waitzberg Lewinski é nutricionista, coordenadora do consultório de nutrição do Ganep Nutrição Humana. Formada pela Universidade São Camilo – São Paulo. Especializações em Fisiologia do Exercício – Unifesp, Nutrição Esportiva – Ganep, Nutrição da Criança e do Adolescente – IcR – HCFMUSP e Metabologia e Avaliação de Exames Laboratoriais – dr. Eric Slywitch.

Amizadeh M. Pesticide Exposure and Head and Neck Cancers: A Case-Control Study in an Agricultural Region. Iran Journal of Otorhinolaryngology, 2017.

Chung IM et. Fatty Acid- and Amino Acid-Specific Isotope Analysis for Accurate Authentication and Traceability in Organic Milk. Journal of Agriculture and Chemistry Food, 2018.

Leia também