Os benefícios da pimenta na alimentação

Postado em 15 de janeiro de 2020 | Autor: Sula de Camargo

Mais do que o sabor característico, ela pode trazer benefícios para a nossa saúde

Nutricionista Sula de Camargo

Sula de Camargo* é nutricionista

Muito se fala das pimentas pela sua ação termogênica no emagrecimento. Neste texto, vou esclarecer um pouco da ação e benefícios da pimenta. Para começar, falarei sobre o contexto histórico.

As pimentas são originárias da América Central e do Sul. Podem variar em termos de forma, tamanho, cor, gosto e composição química. O gênero Capsicum engloba 37 espécies diferentes, composto por espécies selvagens, semi-domesticadas e domesticadas.

Das domesticadas, cinco são mais conhecidas: Capsicum annuum, Capsicum baccatum, C. chinensis, C. frutescens e C. pubescens. Temos como exemplo o jalapeño, ancho, dedo-de-moça, cumari, cambuci, malagueta e também os pimentões. Além disso, elas são fontes importantes de carotenoides, e isso é ótimo para a nossa saúde.

Nas pimentas pungentes (ardidas) estão presentes os chamados capsaicinóides, que são moléculas responsáveis por dar o ardor característico nesses alimentos. Já nos pimentões doces encontramos outro subconjunto de moléculas, os capsinóides, que são semelhantes à capsaicina, porém sem a ardência.

E o que a ciência diz sobre os benefícios da pimenta?

Os estudos investigam mais os efeitos das substâncias consideradas pungentes, mas, mesmo assim, existem muitas lacunas. A maior parte se concentra em modelos in vitro e in vivo em animais. Para extrapolarmos os resultados para uso em humanos, são necessários mais estudos.

As pimentas parecem auxiliar no controle glicêmico e controlar inflamação. Elas tendem a se acumular na superfície das lipoproteínas (que são aquelas proteínas que carregam o colesterol no nosso organismo) e, assim, melhoram a resistência do LDL-colesterol à oxidação. Com isso, evitam as principais etapas da arterosclerose, enquanto melhoram a função do HDL-colesterol e ajudam na remoção do excesso de colesterol do nosso corpo.

Ah, não podemos deixar de falar que muitos chamam o LDL-colesterol de colesterol ruim, mas ele não é! Precisamos dele! O ruim é tê-lo em grande quantidade, e pior ainda é sua oxidação, aí vem os estragos!

Perda de peso: mais um benefício da pimenta?

Pensando em emagrecimento, apesar da pimenta estar no top 10 em indicação por leigos, ela não faz milagres. Isso mesmo: ela não substitui a necessidade de ajustes adequados na alimentação e mudança em geral no estilo de vida se você estiver acima do peso.

O que se propõe em estudos é que ela auxilia no aumento da termogênese (gasto de energia na forma de calor), na diminuição do acúmulo de gordura, no aumento de tecido adiposo marrom que gasta mais energia, na diminuição de apetite e em modificações na microbiota intestinal favoráveis ao emagrecimento.

Mas os estudos clínicos com humanos não mostram impacto significativo na perda de peso e na redução da gordura do corpo. Como disse, ela pode dar uma forcinha, mas não vai fazer milagre. Além disso, a quantidade de ingestão diária seria muito alta, o que não é fácil de ser alcançada pelo desconforto da pungência.

E não esquecendo dos carotenoides, eles têm atividade provitamina A, são antioxidantes e podem exercer efeitos hepatoprotetores.

Por isso, insira as pimentas e pimentões na alimentação para dar sabor e nutrientes que podem contribuir com sua saúde, e não com o objetivo de emagrecer. E dica final: se conseguir, compre pimentas ou pimentões orgânicos.

*Sula de Camargo é nutricionista, docente e palestrante. Vice-presidente da Associação Paulista de Fitoterapia (APFit).

Referências bibliográficas:

Hassan, NM. Et al. Carotenoids of Capsicum Fruits: Pigment Profile and Health-Promoting Functional Attributes. Antioxidants 2019, 8, 469.

Japokin, Z. Risks associated with fat burners: A toxicological perspective. Food and Chemical Toxicology, vol. 123, pages 205-224. Jan 2019.

Baskaran, P. et al. Binding efficacy and thermogenic efficiency of pungente and nonpungent analogs of capsaicin. Molecules 2018, 23, 3198.

Sanati, S. et al. A review of the effects of Capsicum annuum L. and its constituent, capsaicin, in metabolic syndrome. Iran J Basic Med Sci, Vol. 21, No. 5, May 2018.

Leia também



Assine nossa newsletter: