fbpx

Covid-19: como a alimentação pode contribuir para o alívio dos sintomas

Postado em 29 de julho de 2020 | Autor: Maria de Lourdes T. da Silva

A pandemia de Covid-19 segue acumulando cerca de 14 milhões de vítimas em mais de 180 países, com 600 mil casos fatais e ainda sem cura efetiva ou tratamento específico. A nutrição pode ter um papel imunológico contra a doença, e até explicar algumas das diferenças de mortalidade encontradas em muitos países. É possível ver que a inflamação associada com comorbidades são fatores de risco, ao lado da queda da imunidade do envelhecimento.

A condição nutricional adequada, assim como o consumo de nutrientes com propriedades anti-inflamatórias, imunomodulatórias e antioxidantes, são fatores que estão sendo avaliados. É possível que possam prevenir ou atenuar inflamações e sintomas vasculares associados ao Covid-19.

Nutrientes em foco

Vitaminas C, D, E, zinco, óleo de peixe e fibras são os que mais se destacaram. O padrão alimentar saudável também é importante e a dieta mediterrânea chama a atenção nesse ponto.

Até 50% dos pacientes com Covid-19 podem apresentar pelo menos uma manifestação gastrointestinal, com ou sem sintomas respiratórios. Os mais frequentes são falta de apetite, alteração olfatória e do paladar, diarreia, náusea e vômito e dor abdominal.

As manifestações digestivas costumam ser precoces e duram até oito dias. O diagnóstico de Covid-19 pode ser atrasado se não tem associado sintomas respiratórios. Além disso, as manifestações gastrointestinais implicam em risco de maior gravidade do Covid-19.

Outro ponto é que medicações sintomáticas e probióticos podem ser instituídos. Exames endoscópicos devem ser evitados pelo risco de contaminação por serem procedimentos geradores de aerossóis.

Já a hidratação também é uma etapa importante para não piorar os sintomas e trazer algum alívio. O ideal é ingerir de 50 a 100 ml a cada 15 minutos de água, chás, bebidas isotônicas, hidratante oral caseiro (acrescentar um colher de café de sal a suco de caju ou maçã), principalmente se houver diarreia ou vômito.

Iogurtes mais proteicos na versão sem gordura, açúcar ou lactose, também são nutritivos e favorecem a hidratação. Frutas frescas cruas ou cozidas como banana, limão, caju, maçã ou goiaba sem casca e sementes são indicadas.

Por fim, os suplementos proteicos ou energéticos podem ser oferecidos gelados, de sabores variados e fracionados. Eles são úteis para manter as funções metabólicas e massa muscular, são de mais fácil digestão e hidratam. Prefira ainda refeições mais leves e com pouca gordura para a melhora dos sintomas.

Fase de recuperação

Os sobreviventes da doença grave podem chegar em casa com alguns problemas nutricionais como desnutrição, seja pela redução da ingestão oral por sintomas gastrointestinais prévios, inflamação, imobilismo prolongado ou patologias crônicas.

Eventualmente ainda podem persistir a dificuldade de deglutição, a falta de apetite, a fadiga e a alteração do paladar. A reabilitação nutricional não deve ser negligenciada. Na fase de reabilitação, pós-UTI, o ideal é consumir seis refeições fracionadas, ricas em calorias e proteínas, com hidratação adequada com oito copos por dia. Como opções, priorize água, água saborizada, sucos, leite, iogurte grego com proteínas, milk-shakes e suplementos nutricionais.

Alimentos mais frios ou gelados, gomas de mascar, doces azedos e menta podem favorecer o paladar e a boca seca. Considere multivitamínicos até se alimentar adequadamente.

Assim, subestimar a importância da nutrição em pacientes com Covid-19 é um erro que pode afetar negativamente os resultados tanto na fase aguda quanto na reabilitação.

Os suplementos nutricionais podem ser necessários em todas as fases para acelerar a recuperação, ao lado de exercícios para ganho de massa muscular perdida. Essas são medidas importantes para a obtenção da capacidade para retomar as atividades habituais.

 

Referências bibliográficas:

ASPEN Report on Nutrition Support Practice Processes with COVID-19: The First Response. ASPEN, May 2020.

 What Can I Eat at Home After Being in the Intensive Care Unit with COVID-19. Canadian Malnutrition Taskforce and Canadian Nutrition Society.

Nutrition Therapy in the Patient with COVID-19 Disease Requiring ICU Care. ASPEN.

Nutrition and Hydration: Key Weapons in the Fight Against COVID-19. ASPEN Recommendations for Non-ICU COVID-19 Patients.

Nutrition and Hydration: Quick Facts for COVID-19 Patients. ASPEN Recommendations for Non-ICU COVID-19 Patients.

ESPEN Expert Statements and Practical Guidance for Nutritional Management of Individuals with SARS-CoV-2 Infection. Clinical Nutrition, April 2020, Barazzoni R et al.

Leia também



Assine nossa newsletter: