fbpx

Mitos e verdades sobre a dieta mediterrânea

Postado em 13 de julho de 2020 | Autor: Redação Nutritotal

Conheça os prós e contras dessa dieta famosa pelas gorduras boas

Popular entre os turistas na Europa, a região do Mediterrâneo é repleta de belezas naturais e um clima agradável. E, além das paisagens, outro ponto que chama a atenção nessas localidades é a alimentação. O estilo alimentar dos habitantes do Mediterrâneo pode levar mais vegetais e frutas, além de peixes e de azeite de oliva no dia a dia. A partir daí, surgiu uma dieta que se popularizou no mundo inteiro: a dieta mediterrânea.

Existem muitos estudos acerca dos benefícios que esse tipo de alimentação pode trazer à saúde do coração e de outros órgãos do corpo humano. Para saber mais sobre eles e outras informações sobre esse regime, confira alguns mitos e verdades a seguir:

4 mitos e verdades sobre a dieta mediterrânea

Ela pode ser benéfica para a saúde, mas nem todo mundo pode aderir.

Mesa com uvas, queijos e azeites, alimentos que fazem parte da dieta mediterrânea. Crédito da imagem: valeria_aksakova/Freepik.

Esse estilo de alimentação é rico em azeites, frutas e grãos | Imagem: Freepik

Esse estilo de alimentação reduz a gordura corporal

Parcialmente verdade. Um estudo publicado no Clinical Nutrition ESPEN comparou os efeitos da dieta mediterrânea em relação à distribuição da gordura no corpo. Como resultado, a dieta pode ajudar a reduzir a gordura subcutânea e a circunferência da cintura, mas, por outro lado, é um estilo de alimentação rico em gorduras e que pode levar ao ganho de gordura corporal em alguns casos.

Pode diminuir o risco de aterosclerose

Verdade. Uma pesquisa da European Atherosclerosis Society mostrou que a aderência a uma dieta com estilo mediterrâneo, rica em alimentos como frutas, verduras, nozes, leguminosas, grãos integrais, peixes, entre outros, pode estar associado a fatores de proteção nas placas ateroscleróticas.

Pode fazer bem para a saúde ocular

Verdade. Um estudo feito por médicos portugueses e publicado no Acta Ophthalmology apontou que o consumo de uma dieta do estilo mediterrânico pode reduzir em até um terço o risco de degeneração macular relacionada à idade. Parte desses benefícios estavam relacionados ao consumo de frutas, que foi significativamente maior em pessoas sem degeneração macular.

Qualquer pessoa pode seguir a dieta mediterrânea

Mito. Apesar de trazer benefícios à saúde, é importante consultar um nutricionista antes de aderir à dieta. Alguns itens presentes nesse estilo alimentar como queijos e pães podem ocasionar em problemas de saúde para intolerantes à lactose e celíacos, por exemplo. Além disso, adeptos da dieta também podem consumir vinho, que deve ser ingerido com moderação e evitado em alguns casos.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Mayr HL et al. Ad libitum Mediterranean diet reduces subcutaneous but not visceral fat in patients with coronary heart disease: A randomised controlled pilot study. Clin Nutr ESPEN. 2019.

Gallego RM, Uzhova I, Moreno-Franco B, et al. Adherence to a Mediterranean diet is associated with the presence and extent of atherosclerotic plaques in middle-aged asymptomatic adults: The AWHS study. European Atherosclerosis Society. 2017..

Cachulo Mda L, Laíns I, Lobo C, Figueira J, Ribeiro L, Marques JP, et al. Age-related macular degeneration in Portugal: prevalence and risk factors in a coastal and an inland town. The Coimbra Eye Study – Report 2. Acta Ophthalmol. 2016.

Stephen D. The Mediterranean Diet. Med Roundtable Gen Med Ed., 2019.

Leia também



Assine nossa newsletter: