5 mitos sobre emagrecimento e tireoide revelados

Postado em 25 de maio de 2019 | Autor: Redação Nutritotal

Saiba agora como as doenças que afetam a glândula podem ocasionar alterações de peso

Quem tem algum problema de saúde que afeta a tireoide costuma associar as alterações dessa glândula às mudanças de peso repentinas. Mas apesar de ela ser responsável por regular o nosso metabolismo, ainda existem muitos mitos que comparam a tireoide com o emagrecimento.

Segundo o endocrinologista Augusto Cezar Santomauro Jr., a tireoide regula os batimentos cardíacos, o crescimento de cabelos e unhas, o funcionamento do sistema digestivo e também o apetite e a busca por comida. “Ela consegue isso através da produção e liberação dos chamados hormônios tireoidianos”, explica.

E as doenças da tireoide podem atrapalhar a produção desses hormônios, tanto para mais como para menos, levando a alterações no metabolismo. Um exemplo é o excesso de produção, conhecido como hipertireoidismo, que pode apresentar sintomas como aumento do apetite, porém com a perda de peso. Já quando há uma queda na produção dos hormônios, condição que leva o nome de hipotireoidismo, entre outros sintomas está justamente o ganho de peso.

Para entender de vez a verdade por trás dessa relação entre o hormônio e o peso, destacamos cinco mitos comuns para desmenti-los, confira.

Entenda a relação entre problemas na tireoide e emagrecimento

Mulher sentada e médico atrás apalpando seu pescoço para verificar a tireoide

Alterações na tireoide podem comprometer o emagrecimento, mas elas não são a única causa para isso | Imagem: Shutterstock

“Não tenho fome, então a tireoide é a única razão para eu ter engordado”

MITO. A queda na produção dos hormônios tireoidianos, chamada de hipotireoidismo, inclui entre os sintomas o ganho de peso, mesmo com a diminuição do apetite. Segundo Augusto Cezar, o fato de a pessoa engordar pode estar relacionado também com acúmulo de líquidos no seu corpo, pois, com o hipotireoidismo, todo metabolismo está mais lento, incluindo as funções renais responsáveis por drenar os líquidos do nosso organismo.

“Realmente pode haver um ganho de peso nesse paciente, na proporção entre 500 g e 3 kg. Mas, atenção, ninguém engorda 10 kg por causa apenas de uma disfunção na tireoide. O ganho de peso nesses casos pode estar relacionado ao fato de a pessoa se alimentar erroneamente, mantendo uma dieta rica em carboidratos e fast food. É mais fácil culpar a tireoide do que enxergar os erros alimentares”, pondera.

“A tireoide me ajuda a perder peso, o que é ótimo”

MITO. “Apesar de poder ocorrer um emagrecimento em pacientes com hipertireoidismo, isso não significa que a perda de peso seja saudável, pois nesses casos há também um maior consumo de massa muscular e massa óssea, além da massa gordurosa, que leva a pessoa a relatar fraqueza, indisposição, perda do condicionamento físico e até fraturas”, destaca o endocrinologista.

Em resumo, uma doença de hiperfunção da tireoide (hipertireoidismo) pode realmente emagrecer, porém à custa de uma série de outras comorbidades, que não faz valer a pena a perda de peso.

“Meu emagrecimento é impossível porque tenho doença da tireoide”

MITO.  A partir do momento que uma doença da tireoide for identificada, o médico endocrinologista atua prescrevendo medicações para voltar a regular a função da glândula. Caso o paciente faça uso correto da medicação e seus exames de sangue mostrem valores normais de hormônios tireoidianos, sua doença está compensada e, portanto, a tireoide não afetaria em nada no ganho ou na perda de peso. Nesse caso, vale o acompanhamento nutricional para que o tratamento da doença seja associado a hábitos alimentares saudáveis. O nutricionista calculará o quanto seu corpo precisa receber de energia, e irá propor uma distribuição dessa energia entre nutrientes importantes e boas escolhas alimentares.

“Indivíduos que usam medicações para regular a tireoide, e estão com níveis hormonais normais, não podem usar a doença como desculpa para não emagrecer”, Augusto Cezar Santomauro Jr., endocrinologista

“Preciso consumir alimentos ricos em iodo para cuidar da minha tireoide”

MITO.  É verdade que a tireoide utiliza o iodo para produzir seus hormônios. E, segundo a legislação brasileira, o sal de cozinha é enriquecido industrialmente com iodo, tornando o Brasil um país com excesso desse elemento na alimentação.

Por esse motivo, dificilmente um indivíduo terá doença tireoidiana por falta de iodo, principalmente se ele viver em região urbana e consumir produtos industrializados. Logo, pessoas com função tireoidiana normal não necessitam da suplementação com nenhum alimento rico em iodo, desde que façam consumo de sal iodado.

“Não preciso me preocupar com a alimentação já que as alterações de peso são causadas pela tireoide”

MITO.  “Como podem apresentar alterações do metabolismo que levam ao ganho ou à perda de peso, pacientes com hipo ou hipertireoidismo precisam seguir uma dieta saudável e balanceada, evitando o excesso de carboidratos, principalmente os doces e os produtos industrializados, consumindo pouca quantidade de gordura e aumentando a ingestão de fibras e sais minerais”, conclui o endocrinologista.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Augusto Cezar Santomauro Jr. é formado pela Faculdade de Medicina do ABC (FMABC) e especialista em Endocrinologia pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) – 2014. Membro da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) e da Associação Brasileira para os estudos da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO).

American Thyroid Association, 2019.

Greenspan’s: Basic and Clinical Endocrinology, 10th edition, 2017

Vilar: Endocrinologia Clínica, 6ª edição 2016

Williams Textbook of Endocrinology, 2017

Leia também