Como fazer uma reeducação alimentar

Postado em 27 de junho de 2019 | Autor: Redação Nutritotal

Saiba como você pode comer de tudo, mas de maneira moderada, e ainda assim diminuir os fatores de risco que podem prejudicar a sua saúde

Nos dias atuais, é cada vez mais comum nos depararmos nas prateleiras dos mercados com alimentos práticos e prontos para o consumo imediato. Porém, ingerir apenas esse tipo de comida, muitas vezes rico em gorduras e calorias, pode ser prejudicial à saúde. Nesse caso, aprender a fazer uma reeducação alimentar pode ser bastante útil.

Mas afinal, como fazer uma reeducação alimentar? E quando ela deve começar? Um estudo feito na Universidade Federal da Bahia (UFBA) pode trazer essas respostas. Porém, antes, é importante destacar a diferença entre o que é dieta e o que é a reeducação.

Segundo o próprio estudo, a palavra dieta tradicionalmente traz a ideia da proibição em se comer determinados alimentos. Já a disciplina alimentar contemporânea muda esse conceito para recuperar o prazer em comer todos os alimentos, mas em menor quantidade, com foco na busca por eliminar o sofrimento dos regimes convencionais.

A pesquisa também cita que a reeducação alimentar tem a característica de ser uma estratégia proposta para todas as pessoas e não para grupos específicos, embora procure respeitar as individualidades, como gosto por determinados alimentos. Por isso, a reeducação pode ser feita em qualquer idade e a qualquer momento, basta querer começar.

Reeducação alimentar é benéfica para o corpo todo

Outra pesquisa feita na Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT) aponta que a reeducação alimentar, se feita acompanhada de uma atividade física regular, pode melhorar a composição corporal, diminuir os fatores de risco à saúde e ampliar o desempenho físico de mulheres obesas em um curto período.

Mas não são apenas as mulheres que podem aproveitar todos esses benefícios. Outro estudo feito na Universidade de Sultan Zainal (Malásia) avaliou que universitários que mudaram significativamente seus hábitos alimentares por meio da disciplina nutricional, combinados com uma provisão de suplementos, tiveram benefícios à saúde como um todo.

Por isso, veja agora as principais dicas para você também poder começar a fazer uma reeducação alimentar.

4 dicas para fazer uma reeducação alimentar

Mulher e garotinha atrás de bancada repleta de verduras na cozinha, se olhando e sorrindo. Garota segurando um pé de alface e tomates com as mãos.

A reeducação alimentar deve começar desde cedo, influenciada pela família | Imagem: Shutterstock

Consuma mais frutas e vegetais

Um estudo divulgado no periódico Bioactive Foods in Promoting Health aponta que o consumo de frutas e hortaliças pela população é muito menor do que o recomendado pelos órgãos de saúde, especialmente entre os adolescentes.

Por isso, uma reeducação alimentar deve incentivar o consumo de frutas e legumes, e promover o exercício físico.

Coma com moderação

Diferente da dieta, que exclui alimentos do cardápio, a reeducação alimentar pode conter itens diversificados, o que muda é a quantidade que será consumida. A moderação do consumo total de gordura e de doces é necessária para o melhor controle do peso durante a disciplina alimentar.

Seja um exemplo para as crianças

Já as recomendações da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) sugerem que a reeducação alimentar seja feita desde a época da escola. O incentivo da boa alimentação, segundo as diretrizes da FAO, pode ser feito por meio de jogos, brincadeiras, conversas e aprendizado com nutricionistas, pedagogos, professores e a própria família.

Consulte um nutricionista

Para adequar seu cardápio do dia a dia a uma reeducação alimentar, é fundamental procurar a ajuda de um nutricionista, independentemente da idade. O profissional poderá te ajudar a moderar os alimentos e a diversificá-los de acordo com as suas individualidades.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), 2016.

Santos L. Da dieta à reeducação alimentar: algumas notas sobre o comer contemporâneo a partir dos programas de emagrecimento na Internet. Universidade Federal da Bahia, 2010.

Fett C. et al. Dietary Re-education, Exercise Program, Performance and Body Indexes Associated with Risk Factors in Overweight/Obese Women. Universidade Federal do Mato Grosso, 2005.

Lua P. et al. The Impact of Nutrition Education Interventions on the Dietary Habits of College Students in Developed Nations: A Brief Review. Universidade de Sultan Zainal, Malásia, 2012.

Rodríguez-Rodríguez E. et al. Weight Loss Due to Fruit and Vegetable Use. Bioactive Foods in Promoting Health, 2010.

Leia também