fbpx


Salada de cevadinha substitui o arroz

Postado em 31 de dezembro de 2020 | Autor: Redação Nutritotal

Grão é uma opção nutritiva para compor pratos leves e saborosos

A cevada é um cereal muito associado à panificação ou à fabricação de cervejas. Porém, o que pouca gente sabe é que quando as plantas dessa espécie germinam, elas originam um alimento ancestral rico em nutrientes: a cevadinha. Na culinária, o grão pode até substituir o arroz em receitas tradicionais, como, por exemplo, no risoto. Ele também pode ser consumido em sopas, como acompanhamento de legumes e verduras ou até se transformar em uma deliciosa salada de cevadinha.

Quer saber como adicionar o grão na sua alimentação? Confira uma receita saborosa a seguir, ensinada pela nutricionista Iara Lewisnki:

Salada de cevadinha

Preparo fica pronto rapidamente!

Salada de cevadinha

Imagem: Freepik

Rendimento: 2 porções
Tempo de preparo: 30 minutos

Ingredientes:

  • 1 xíc. (chá) de cevadinha
  • 1 tomate italiano picado (ou 180 g de tomates grape cortados ao meio)
  • ½ cebola roxa picada
  • 1 cenoura pequena ralada em ralo médio
  • ¼ de brócolis cozido e picado
  • 6 a 8 folhas de hortelã picadas
  • Suco de ½ limão
  • Azeite de oliva extra virgem
  • Sal
  • Pimenta-do-reino moída na hora

Modo de preparo:

  1. Comece cozinhando a cevadinha em água até que os grãos fiquem cozidos, mas ainda durinhos. Reserve e deixe esfriar.
  2. Enquanto a cevadinha esfria você pode picar os legumes, e depois é só misturar tudo!
  3. Tempere com azeite, sal e pimenta-do-reino somente na hora de servir a salada.

Dicas: Para o brócolis ficar com um verde bem vibrante, dê um choque térmico colocando-o em uma bacia com água e gelo assim que retirar da panela com água fervente. Mais uma sugestão é substituir a cevadinha por quinoa.

Sabor e nutrição

Rica em fibras solúveis e insolúveis, a cevada é fonte de carboidratos, proteínas, antioxidantes, vitaminas e minerais. Seu consumo pode ajudar na perda de peso e na redução do índice glicêmico, contribuindo na diminuição de riscos para doenças cardiovasculares, câncer, síndrome do cólon irritável e síndrome metabólica.

Porém, se você for celíaco ou alérgico a glúten, é melhor evitar a opção. Saiba mais sobre os sintomas relacionados clicando aqui.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referência bibliográfica:

Iara Waitzberg Lewinski é nutricionista do comitê científico Nutritotal, coordenadora do consultório de nutrição do Ganep Nutrição Humana. Formada pela Universidade São Camilo – São Paulo. Especializações em Fisiologia do Exercício – Unifesp, Nutrição Esportiva – Ganep, Nutrição da Criança e do Adolescente – IcR – HCFMUSP e Metabologia e Avaliação de Exames Laboratoriais – Dr. Eric Slywitch. @iaranutri

Karen K. Cevada: importância da utilização na alimentação humana e a aplicabilidade na gastronomia. Unijuí, 2019.

Assine nossa newsletter: