fbpx

Socorro, meu filho não gosta de legumes!

Postado em 27 de março de 2019 | Autor: Lenycia Neri

Devemos forçar a criança a comer? Fazer chantagem com promessas de sobremesa? Devemos ignorar esta recusa? Saiba o que fazer com estas crianças que insistem em não provar nenhuma hortaliça

retrato Lenycia

Lenycia de Cassya Lopes Neri* é diretora da Nutri4Life Consultoria em Nutrição

Uma reclamação muito comum no consultório do nutricionista pediátrico é o relato dos pais que o filho não aceita legumes ou verduras, especialmente em crianças na faixa etária pré-escolar (3 a 6 anos). Até mesmo aquelas que antes aceitavam todos os alimentos, agora, nessa idade, recusam qualquer verde no prato. Devo forçar o meu filho a comer legumes? Fazer chantagem com promessas de sobremesa? Ou devo ignorar a recusa? O que fazer com estas crianças que insistem em não provar nenhuma hortaliça?

A primeira coisa a ser feita é uma análise completa da rotina da criança e dos familiares. Alguns hábitos devem ser levantados, como: como foi a introdução de alimentação complementar desta criança? Com qual idade?

Além disso, é preciso entender onde são realizadas as refeições da família, se são feitas na mesa, com o filho junto aos pais e se há alguma distração no meio, como um celular, tablet ou televisão.

Todas essas atitudes são aspectos importantíssimos a serem abordados também pelo nutricionista durante o atendimento. Por meio desses questionamentos, será possível verificar o que poderia ser alterado para favorecer que a criança sinta curiosidade por novos alimentos e experimente as preparações com verduras e legumes.

É interessante ressaltar que na faixa etária pré-escolar ocorre uma desaceleração do crescimento, e a criança diminui o seu apetite. Além disso, ela tem maior interesse em brincadeiras do que na alimentação. Então, caso seu filho esteja com peso e estatura ideais para idade, relaxe! Nessa fase da vida existe um processo chamado neofobia: tudo que é novidade a criança rejeita.

Procure respeitar os limites de saciedade que a criança apresenta, e variar as preparações culinárias oferecidas. Lembre-se sempre de dar o exemplo: todos os familiares comendo na mesa uma alimentação variada e colorida, sem distrações (a não ser a distração de uma conversa agradável!) e sem pressões é o melhor ambiente para favorecer o consumo de uma grande variedade de alimentos.

Os hábitos dos pais também são importantes. A presença de verduras e legumes tanto na geladeira quanto no prato deles é indispensável. E uma forma de aproximar a criança é testar receitas e brincar com ela, desafiando-a a experimentar outros alimentos.

E aqui vão algumas dicas para melhorar o consumo de verduras e legumes de seu filho:

  • Não esconda verduras e legumes no prato: a criança pode perceber e ficar desconfiada nas próximas vezes;
  • Não force a criança a comer: ofereça com carinho e mostre interesse ao consumir o mesmo alimento;
  • Nunca utilize chantagem para que a criança consuma determinados alimentos: isso pode levar a sistemas compensatórios alimentares inadequados no adulto, como, por exemplo: “briguei com meu chefe, mereço um chocolate!”;
  • Chame seu filho para preparar algumas receitas com você: tenho certeza de que essa experiência será de muita diversão, para você e para a criança!

*Lenycia de Cassya Lopes Neri é nutricionista graduada pela USP, especialista em Nutrição Clínica pela ASBRAN e mestre pela Faculdade de Medicina USP. Atua como nutricionista do ambulatório do Instituto da Criança – HC FMUSP e é diretora da Nutri4Life Consultoria em Nutrição (www.nutri4life.com.br).

Leia também