Homens x mulheres: quem ganha mais saúde consumindo frutas?

Postado em 13 de abril de 2019 | Autor: Redação Nutritotal

O organismo deles e delas reage de maneiras diferentes quando o assunto é proteção contra doenças crônicas

Verduras e legumes em bowls e mãos os manuseando

O alto consumo de frutas e vegetais exerce um efeito positivo nas nossas defesas antioxidantes | Imagem: Shutterstock

Você já deve ter ouvido falar que quanto mais colorido e diversificado for o prato, melhor ele será para a sua saúde. A novidade agora é que investir em comida saudável, como legumes, verduras e frutas, pode ser benéfico de maneiras diferentes entre homens e mulheres.

Um estudo feito na Polytechnic University of Marche, na Itália, comparou a relação do consumo de frutas e hortaliças com capacidade antioxidante na dieta de acordo com o gênero e como esses alimentos agiam no estresse oxidativo de cada organismo. Esse tipo de estresse, por sinal, causa a morte de algumas células no corpo, provocando o envelhecimento precoce e, portanto, é um fator que também contribui para o desenvolvimento de doenças crônicas.

Pelo fato de as frutas e os vegetais conterem vários componentes bioativos, como os carotenoides e os polifenóis, esses alimentos acabam exercendo efeitos antioxidantes, segundo a pesquisa. Os hábitos alimentares foram relacionados em cada sexo e resultaram em um maior consumo de frutas e vegetais nas mulheres do que nos homens.

Frutas e saúde (deles e delas)

O estudo descobriu que os valores médios de luteína (pigmento que dá a cor amarelada a alimentos) e betacaroteno (a cor laranja) no sangue foram maiores nas mulheres do que nos homens. Em contrapartida, os valores médios de LDL-ox, fração do colesterol que pode influenciar na função cardíaca, foram maiores neles.

Com isso, os pesquisadores italianos concluíram que o alto consumo de frutas e vegetais exerce um efeito positivo nas defesas antioxidantes em ambos os sexos. Mas os resultados sugerem que o efeito protetor pode ser encontrado em maior grau nas mulheres do que nos homens.

O mesmo estudo ainda evidenciou que diferenças baseadas no sexo são aparentes em muitas doenças crônicas. Assim, um maior consumo de frutas e vegetais ricos em ativos antioxidantes deve ser recomendado nos esforços para prevenir doenças ligadas ao estresse oxidativo.

E lembra daquela frase do início do texto, sobre ter um prato colorido ser melhor para a saúde? Esse estudo é mais uma prova de que isso funciona. O vermelho presente no tomate é um dos carotenoides, chamado de licopeno, assim como os alimentos laranjas ricos em betacaroteno, os amarelados com luteína, e outros grupos dessa lista que compõem um prato saudável.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Bacchetti T. et. Relationship of fruit and vegetable intake to dietary antioxidant capacity and markers of oxidative stress: A sex-related study. Nutrition, 2019.

Rodriguez-Amaya D., et. Fontes Brasileiras de Carotenoides. Governo do Brasil, 2008.

Leia também