fbpx


4 verdades e mentiras reveladas sobre o mel

Postado em 30 de dezembro de 2019 | Autor: Redação Nutritotal

Saiba mais sobre o alimento produzido pelas abelhas e seus benefícios

Uma forma eficaz de conhecer a culinária de um determinado local é começar experimentando o mel da região. Isso porque cada lugar, seja no Brasil ou no mundo, produz um tipo diferente desse alimento, que pode combinar com sobremesas, compor molhos para saladas e até substituir o açúcar em receitas. Mas você sabe identificar as verdades e mentiras sobre o mel que circulam por aí?

Com uma longa validade, o alimento pode fazer bem à nossa saúde, contudo, por trás de seus benefícios, há cuidados que é preciso ter conhecimento para não se confundir na hora de consumir. Listamos a seguir algumas das principais dúvidas em forma de verdades e mentiras sobre o mel. Confira:

Verdades e mentiras sobre o mel

Natural, esse alimento oferece benefícios à saúde, mas nem tudo o que se ouve sobre ele é verdade.

Potes de mel e mel escorrendo

O mel pode reforçar a imunidade | Imagem: Shutterstock

O mel pode trazer benefícios à saúde bucal

Verdade. Por ter propriedades antibacterianas e cicatrizantes, o mel pode ser aliado da saúde bucal, segundo uma pesquisa divulgada pelo Saudi Dental Journal. O estudo mostrou ainda que o consumo moderado de mel é capaz de ajudar na prevenção  de gengivite após um tratamento ortodôntico. Ainda assim, vale ressaltar que é necessário consultar um dentista para saber o melhor tipo de alimentação para a sua saúde bucal.

Crianças pequenas podem consumir mel

Mito. Um estudo analisado pelo periódico Ciência Rural mostrou que o botulismo infantil é uma forma especial de doença de origem alimentar, que afeta quase exclusivamente as crianças com idade inferior a um ano. E o mel é uma das fontes registradas de alimento veiculador do agente causador desse botulismo infantil, o Clostridium botulinum. Por isso, os pais devem ficar atentos para evitar o consumo de mel em bebês.

O mel ajuda a reforçar a imunidade

Verdade. Outra pesquisa publicada pelo Oxidative Medicine and Cellular Longevity mostrou que o mel pode ser considerado um medicamento antioxidante natural, que atua como um anti-inflamatório e como um regulador do sistema imunológico contra diferentes tipos de doenças.

Mel não tem data de validade

Mito. Apesar de ser um alimento com um tempo de validade longo, o mel, após dois anos, pode estragar. Um estudo da Università di Catania, na Itália, comparou diversos tipos de mel e apontou que o alimento costumar durar entre 18 e 36 meses.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Al-Dany A. et al. Effect of honey in preventing gingivitis and dental caries in patients undergoing orthodontic treatment. Saudi Dental Journal, 2014.

Ragazani A. et al. Esporos de Clostridium botulinum em mel comercializado no Estado de São Paulo e em outros Estados brasileiros. Ciência Rural, 2008.

Sarfraz A. et al. Honey as a Potential Natural Antioxidant Medicine: An Insight into Its Molecular Mechanisms of Action. Oxidative Medicine and Cellular Longevity, 2018.

Fallico B. et al. Prediction of honey shelf life. Università di Catania, 2008.

-

Assine nossa newsletter: