fbpx


Gordura é tudo igual?

Postado em 1 de dezembro de 2021 | Autor: Aline Palialol

Saiba qual gordura está presente no seu prato e como fazer boas escolhas para a sua saúde

As gorduras são importantes para diversos processos do nosso corpo e, portanto, devem fazer parte de uma alimentação equilibrada.

Existem, basicamente, dois tipos de gordura: saturada e insaturada. A gordura saturada, presente principalmente em alimentos de origem animal, como carnes, leite, queijos e manteiga, deve ser consumida com moderação, pois está relacionada a doenças cardiovasculares.

Já a gordura insaturada está presente nos óleos de origem vegetal e em alguns peixes. Deve ser o principal tipo de gordura consumida e ajuda, por exemplo, a aumentar o HDL, o colesterol bom, e a prevenir doenças cardiovasculares.

Entenda mais sobre a importância da gordura na alimentação

Compartilhamos a seguir algumas informações relevantes que podem te ajudar a fazer melhores escolhas.

Qual é a melhor?

Mesa com opções de gordura na alimentação

Imagem: Shutterstock

A ciência tem demonstrado resultados importantes sobre o consumo de gorduras que devem ser considerados quando escolhemos com o que cozinhar e o que colocar em nosso prato.

Em alimentos como carnes dos animais, no ovo, óleo de palma e óleo de coco, encontramos as gorduras saturadas que, em excesso, são capazes de aumentar os níveis de colesterol total e LDC-c, o colesterol ruim. Por isso, são relacionadas ao desenvolvimento de doenças crônicas como as doenças cardiovasculares, diabetes e obesidade.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, devemos priorizar em nossa alimentação um consumo de gorduras vegetais como os óleos e azeites, fazendo a substituição, sempre que possível das gorduras saturadas.

Isso não significa que devemos eliminar as gorduras saturadas das nossas refeições, pois elas atuam em funções importantes do nosso organismo, como absorção de algumas vitaminas e produção de hormônios. Mas sim, consumi-las com moderação.

E como reconhecer os tipos de gorduras?

Com os exemplos que já demos você consegue perceber a qual tipo de gordura pertence o alimento que você está ingerindo, mas separamos alguns mitos e verdades para que você entenda melhor:

Óleo de coco não é tão bom quanto parece

Verdade. O óleo de coco ganhou muito espaço na mídia de uns anos para cá por ser considerado uma gordura boa que pode ser usada tanto para fins culinários quanto para cuidados com a pele e cabelos. Mas, o que poucos sabem é que, mesmo sendo de origem vegetal, o óleo de coco é rico em gordura saturada, aquela que como mencionamos deve ser consumida com cautela.

Margarina faz mal à saúde

Mito. Diferente da manteiga, que é fonte de gordura saturada, a margarina é feita a partir de gordura vegetal, fonte de gorduras insaturadas. Para ter uma consistência cremosa, óleos vegetais são combinados com uma base de gordura vegetal sólida, obtida através do processo de hidrogenação total, e sofrem um processo de interesterificação, método utilizado pela maioria das marcas disponíveis no mercado. Esse processo substituiu o uso de gordura trans, provenientes das gorduras parcialmente hidrogenadas nas margarinas e até o momento não há evidências de que esse tipo de gordura faça mal à saúde.

Azeite é tudo igual

Mito. Ao se deparar com a prateleira de azeites no supermercado podemos pensar que é tudo igual e é só se guiar pelo preço para escolher o melhor para a sua saúde e seu bolso. Mas, não é bem assim:

O extra virgem, é o mais saudável entre os popularmente conhecidos, ele é extraído a partir da prensa da azeitona em temperatura controlada, o que preserva seus nutrientes e suas propriedades antioxidantes.

O virgem é um pouco mais calórico e mais ácido por passar por duas prensagens, mas ainda assim, muito nutritivo.

O composto é aquele que encontramos geralmente em latas ou embalagens plásticas. Ele é a mistura do azeite refinado com outros óleos, podendo liberar substâncias tóxicas caso seja submetido a altas temperaturas como a fritura.

O azeite de dendê é o óleo de palma, uma gordura rica em ácidos graxos saturados, sendo um alimento que também deve ser consumido em pequenas quantidades.

Agora que você conhece um pouco mais, fica fácil entender que as gorduras podem e devem fazer parte de uma alimentação equilibrada, desde que consumidas com moderação.

Mas, lembre-se de sempre procurar a ajuda de um profissional da saúde, especialmente um nutricionista, caso tenha alguma dúvida sobre como incluir esses alimentos em quantidades adequadas na sua alimentação.

 

FoRC. Azeite de oliva não é “tudo igual”. Alimentos sem mitos.

FoRC. Tipo de extração influencia os compostos presentes no azeite. Alimentos sem mitos.

IBSCH, Raquel Bonati Moraes; DE SOUZA, Carolina Krebs; REITER, Mercedes Gabriela Ratto. Óleos e Gorduras Vegetais Não São Todos Iguais. International Journal of Nutrology, v. 11, n. S 01, p. Trab611, 2018.

IBSCH, Raquel Bonati Moraes; REITER, Mercedes Gabriela Ratto; DE SOUZA, Carolina Krebs. o Consumo de Gordura Saturada. International Journal of Nutrology, v. 11, n. S 01, p. Trab560, 2018.

IBSCH, Raquel Bonati Moraes; DE SOUZA, Carolina Krebs; REITER, Mercedes Gabriela Ratto. Margarina X Manteiga: Qual a Melhor Opção? International Journal of Nutrology, v. 11, n. S 01, p. Trab525, 2018.

IBSCH, Raquel Bonati Moraes; DE SOUZA, Carolina Krebs; REITER, Mercedes Gabriela Ratto. Óleo de Coco É Realmente uma Escolha Saudável? International Journal of Nutrology, v. 11, n. S 01, p. Trab610, 2018.

IZAR, Maria Cristina de Oliveira et al. Posicionamento sobre o Consumo de Gorduras e Saúde Cardiovascular – 2021. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. 2021, v. 116, n. 1, pp. 160-212.

North American Olive Oil Asso. Olive Oil: Types and Usage.

WHO. Healthy diet. 2020

-

Assine nossa newsletter: