fbpx


Obesidade nem sempre significa que o corpo está doente. Saiba mais

Postado em 13 de outubro de 2021 | Autor: Redação Nutritotal

Estudo revelou que existem tipos diferentes de pessoas obesas

Você já reparou que algumas pessoas obesas podem apresentar problemas de saúde como colesterol e diabetes, mas que outras sequer possuem qualquer indicativo de que o corpo está doente? A resposta para entender essa diferença pode estar mais próxima do que nunca, segundo a ciência.

Um estudo feito na Universidade do Texas e publicado no periódico Science investigou desde 2007 até os dias atuais o motivo pelo qual muitas pessoas com obesidade ainda possuíam níveis saudáveis ​​de colesterol e glicose no sangue, enquanto outros pacientes obesos, e até mesmo pessoas com Índice de Massa Corporal (IMC) baixo, não tinham.

A análise inicialmente foi feita em camundongos, na qual os cientistas descobriram uma pista para a resposta: a gordura do corpo é armazenada sob a pele, e não nos músculos ou em órgãos como o fígado. De acordo com eles, esse padrão também pode ser encontrado entre as pessoas.

Mulher se exercitando na sala

Imagem: Shutterstock

Tipos de obesidade

A partir dessa informação, os pesquisadores apontaram que pessoas com excesso de gordura visceral, na região do fundo do abdômen, corriam um maior risco de problemas de saúde do que pessoas com altos volumes de gordura subcutânea, aquela que está localizada sob a pele das coxas, braços e costas.

Como conclusão, os cientistas entenderam que, quando alguém tem gordura visceral alta, a probabilidade de aparecer um sintoma de doença metabólica, como colesterol e diabetes, é maior. Isso porque a gordura visceral gera moléculas inflamatórias que acumulam mais gordura no fígado, pâncreas e músculos, o que pode comprometer esses órgãos e suas funções.

Já a gordura subcutânea pode ser considerada menos danosa por servir como uma reserva de energia, que ajuda a amortecer músculos e ossos. Neste caso, pacientes idosos, com câncer e até com insuficiência cardíaca, por terem grande risco de desnutrição, se beneficiariam de um acúmulo moderado de gordura subcutânea.

Leia também: O que é o estado metabolicamente saudável

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Scherer P. et al. Obesity-associated improvements in metabolic profile through expansion of adipose tissue. University of Texas Southwestern Medical Center, 2007-2021.

Jennifer C. A lighter burden. Science, 2021.

-

Assine nossa newsletter: