fbpx

O que a ciência já sabe sobre a alimentação e o novo coronavírus

Postado em 17 de fevereiro de 2020 | Autor: Redação Nutritotal

Veja o que é fake news e o que é verdade sobre a prevenção desse vírus

Nas últimas semanas, o coronavírus tem sido assunto pelo mundo todo. A nova epidemia, iniciada na província de Wuhan, na China, foi batizada pelos cientistas como 2019-nCoV (popularmente, novo coronavírus). Graças à sua fácil propagação, muita gente tem espalhado fake news sobre a epidemia, a relacionando até mesmo à alimentação.

Mas será que as pessoas podem ser infectadas por meio da alimentação? E será que realmente existem – como se tem falado por aí – alimentos capazes de prevenir a contaminação por coronavírus? Veja a seguir o que a ciência já sabe sobre essa relação.

4 mitos e verdades sobre coronavírus e alimentação

É importante estar bem informado para não contribuir com as fake news.

Homem sentado à mesa soa o nariz com um lenço de papel. Na semana tem uma tigela de comida, uma caneca e medicamentos.

Os principais sintomas do novo coronavírus são febre, tosse e dificuldade para respirar | Imagem: Shutterstock

Alimentos trazidos da China podem estar contaminados com o coronavírus

Mito. Segundo uma coletiva feita pela Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, não existe possibilidade de transmissão do vírus por meio de mercadorias trazidas da China, inclusive de origem animal. Isso acontece pois o novo vírus sobrevive apenas algumas horas em suas variações. Além disso, segundo o Ministério da Saúde, a China não exporta alimentos em larga escala para o Brasil.

Lavar as mãos antes de consumir alimentos é uma forma de prevenir o contágio

Verdade. De acordo com as recomendações do Ministério da Saúde, para redução do risco de adquirir ou transmitir doenças respiratórias, o ideal é que sejam adotadas medidas gerais de prevenção, como realizar uma higienização das mãos frequentemente, principalmente antes de consumir alimentos, além de não compartilhar objetos de uso pessoal (como talheres, pratos, copos ou garrafas), cobrir a boca ao tossir ou espirrar e higienizar as mãos logo na sequência, e manter os ambientes bem-ventilados.

Chá de gengibre previne a proliferação do vírus

Mito. Apesar de o gengibre ser um alimento rico em nutrientes, até o momento, o Ministério da Saúde reforça que não há nenhum medicamento específico, infusão ou vacina que possa prevenir a infecção pelo novo coronavírus.

Incluir vitaminas C e D na alimentação ajudam a evitar o contágio por coronavírus

Mito. Outro boato que se popularizou nas redes sociais foi que o suplemento de vitamina C com zinco, ou de vitamina D, era capaz de prevenir o coronavírus, mas o Ministério da Saúde afirmou que não há nenhum medicamento ou suplemento capaz de realizar essa prevenção até o momento.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referência bibliográfica:

Ministério da Saúde, 2019.

Leia também



Assine nossa newsletter: