fbpx

O que está por trás da anemia em idosos?

Postado em 31 de janeiro de 2019 | Autor: Redação Nutritotal

Conheça os sintomas e as reais formas de prevenção contra a doença

O ferro é um elemento de extrema importância para a saúde humana, pois é ele quem transporta todo o oxigênio pelo nosso corpo. E quando falta pode causar uma doença que afeta principalmente os idosos: a anemia ferropriva. A condição é caracterizada quando os níveis sanguíneos de hemoglobina estão abaixo do esperado, diminuindo, assim, o fluxo de oxigênio que chega até os tecidos e órgãos. Em condições normais, a hemoglobina deve ficar entre 12 e 16 g/dl nas mulheres e entre 13,5 e 17,5 g/dl em homens.

Alguns sintomas podem ajudar a identificar a presença da anemia, como: fadiga generalizada, falta de apetite, palidez de pele e mucosas (principalmente na parte interna do olho e gengivas), menor disposição para realizar atividades diárias e apatia. Entretanto, somente o exame laboratorial poderá confirmar o diagnóstico da anemia ferropriva. Veja agora o que é verdade e o que é mentira sobre essa doença.

Mitos e verdades sobre anemia em idosos

A falta de ferro em pessoas com mais de 65 anos provoca sintomas como cansaço e falta de apetite. Saiba o que realmente está por trás da condição.

Mesa com legumes, frutas e cereais

Alguns vegetais são aliados contra anemia | Imagem: Shutterstock

1. Idosos anêmicos têm mais chances de morrer

VERDADE. O risco de mortalidade é mais alto entre idosos anêmicos do que os que possuem níveis normais de hemoglobina no sangue. E mesmo que a maioria dos casos seja considerada leve, o impacto nas condições clínicas do paciente é significante, já que o corpo fica mais propenso a ter outras doenças resultantes da anemia.

2. A suplementação de ferro não ajuda no tratamento da doença

MITO. Em casos de deficiência do mineral, a dose recomendada de ferro elementar é de 50 mg a 100 mg, três vezes ao dia, e precisa ser sempre acompanhada pelo médico. No entanto, uma quantidade menor, como um único comprimido de sulfato de ferro, pode minimizar os efeitos colaterais e melhorar a adesão ao tratamento.

3. A anemia ferropriva nos idosos tem seus primeiros sintomas na região gastrintestinal

VERDADE. A deficiência de ferro é comum no idoso e resulta da perda de sangue causado por doenças crônicas na região intestinal ou por uma gastrite associada ao uso de anti-inflamatórios não esteroides, úlceras gastrointestinais, câncer colorretal, entre outros sintomas notáveis no sistema digestório.

4. Os mais jovens e os idosos sofrem com a anemia da mesma forma

MITO. Os mais velhos possuem uma redução significativa das reservas fisiológicas, e por conta disso, acabam sofrendo mais rápido com os sintomas e consequências causadas pela anemia, em especial, a perda de sangue contínua e da capacidade cardiovascular.

5. Uma boa alimentação é capaz de prevenir a anemia ferropriva

VERDADE. Em alguns casos, dieta ou absorção inadequadas de ferro podem contribuir para a anemia, mas a perda de sangue deve ser exaustivamente investigada e excluída antes de assumir que a deficiência de ferro decorre de outras causas.

6. Somente a falta de ferro causa anemia nos idosos

MITO. Outro mineral que, em falta, pode causar a anemia é a vitamina B12. Alguns estudos sugerem que a sua deficiência no corpo, também chamada de cobalamina, é a causa da anemia entre 5% e 10% dos pacientes idosos.

7. Alimentos como feijão e couve ajudam a prevenir a anemia

VERDADE. Vegetais de folha verde escura, carne vermelha, ostras, ovos, leite e feijão são alguns dos exemplos de ingredientes que precisam entrar no cardápio para prevenir a doença, já que são ricos ou em ferro ou em vitamina B12.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Ministério da Saúde. Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição. Programa Nacional de Suplementação de Ferro.

EISENSTAEDT R., PENNINX B.W., WOODMAN R.C. Anemia in the elderly: current understanding and emerging concepts. Blood Rev. 2006.

DOUGLAS L. Smith, MD, Escola de Medicina da Universidade de Wisconsin, Madison, Wisconsin.

NAHON S., LAHMEK P., ARAS N., POUPARDIN C., LESGOURGUES B., MACAIGNE G., et al. Management and predictors of early mortality in elderly patients with iron deficiency anemia: a prospective study of 111 patients. Gastroenterol Clin Biol. 2007.

LIPSCHITZ D. Medical and functional consequences of anemia in the elderly. J Am Geriatr Soc. 2003.

WINTROBE. Hematologia Clínica, Editora Manole – 9ª Edição.

Leia também