Ovo ou pão: qual é a melhor escolha para o café da manhã?

Postado em 27 de junho de 2020 | Autor: Redação Nutritotal

Veja o que um estudo descobriu entre refeições ricas em proteínas e carboidratos

Mesa com ovo e pão de forma

O consumo de ovos e pão é comum no café da manhã | Imagem: Shutterstock

O que não pode faltar no seu café da manhã? É aquele pão fresquinho ou um bom ovo mexido? Apesar de serem duas opções comuns no café de muitos brasileiros, podem existir diferenças entre o consumo delas no que diz respeito à saúde cardiometabólica.

Isso é o que mostrou um estudo publicado no European Journal Clinical Nutrition, que comparou os efeitos desses dois tipos de café da manhã: um com ovos e o outro rico em carboidratos, em pessoas adultas que tinham sobrepeso, obesidade, pré-diabetes ou síndrome metabólica.

A refeição do grupo com base em ovos era baseada em tacos com ovos, sanduíches com ovos ou burritos, onde eram oferecidos dois ovos por café da manhã durante seis dias na semana, totalizando 12 por semana. Já o grupo com base em carboidratos ingeria cereais com leite, waffles com melado, barras de granola, castanhas, frutas e queijos.

Proteínas ou carboidratos?

Ao todo, 30 participantes completaram o estudo, sendo 19 mulheres e 11 homens. A quantia média de açúcar ingerida foi de 13 g no grupo que consumiu ovos e 37 g no de carboidratos, e a quantidade de proteínas foi de 36 g para quem consumia ovos e 17 g no outro grupo.

Com isso, os pesquisadores concluíram que a ingestão de café da manhã à base de ovo, comparada ao consumo de café da manhã sem ovo e com mais carboidratos, não afetou a sensibilidade à insulina.

Além disso, comparado ao início do estudo, o colesterol reduziu menos no grupo que consumiu os ovos do que para o grupo dos carboidratos. Já a pressão arterial sistólica foi reduzida em 2,7% para o grupo à base de ovos e não se alterou para o outro grupo.

Por fim, a ingestão de ovos no café da manhã foi associada a um aumento da ingestão diária de calorias, mas não ao aumento do peso corporal. Como conclusão, não foram encontradas outras diferenças significativas de fatores de risco cardiometabólico, mas mais estudos precisam ser feitos para reiterar essas conclusões.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referência bibliográfica:

Maki KC et al. Effects of substituting eggs for high-carbohydrate breakfast foods on the cardiometabolic risk-factor profile in adults at risk for type 2 diabetes mellitus. Eur J Clin Nutr. 2020.

Leia também



Assine nossa newsletter: