fbpx

Afinal, quem tem colesterol alto pode comer ovo?

Postado em 8 de agosto de 2020 | Autor: Redação Nutritotal

Veja se esse e outros alimentos estão relacionados ao colesterol elevado

Frigideira com dois ovos fritos

O ovo oferece benefícios à saúde, mas seu consumo merece atenção | Imagem: Freepik

A alimentação é um dos fatores que pode influenciar no nível de colesterol no organismo. Um dos alimentos mais conhecidos nessa relação, especialmente entre aqueles que possuem o composto acima da média no corpo, é o ovo. Não à toa, é muito comum o questionamento se quem tem colesterol alto pode comer ovo com certa frequência.

Para saber a resposta, um estudo científico publicado pela American Heart Association (AHA) relacionou como o colesterol é afetado pelos lipídios presentes no sangue por meio da alimentação e como eles podem estar ligados com o risco de doenças cardiovasculares.

Na análise, eles concluíram que os principais contribuintes do colesterol na dieta, em ordem decrescente, foram a carne vermelha (com 42% da ingestão total de colesterol) e os ovos (que contribuíram com 25% do colesterol total), além de alguns produtos à base de grãos e os laticínios integrais.

Por isso, é preciso seguir as orientações de um nutricionista antes de consumir esses alimentos e manter os exames em dia para acompanhar os níveis de colesterol no organismo.

Hábitos saudáveis

Com intuito de ajudar no controle do colesterol, a orientação do estudo é se concentrar em padrões alimentares saudáveis, como, por exemplo, na dieta mediterrânea e no estilo DASH (Dietary Approaches to Stop Hypertension), que são relativamente baixos em colesterol.

Esses padrões priorizam frutas, vegetais, grãos integrais, laticínios com pouca ou sem gordura, fontes de proteína magra, nozes, sementes e óleos vegetais líquidos na alimentação.

Além disso, o estudo também aponta que é preciso evitar alimentos com alto teor de gordura saturada na alimentação diária.

Portanto, para saber se quem tem colesterol alto pode comer ovo, vale fazer um acompanhamento com um nutricionista. O profissional poderá orientar, para cada caso, as quantidades ideais de cada alimento na dieta.

Leia também: Alimentos para reduzir o colesterol: o que realmente funciona?

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referência bibliográfica:

Jo Ann S. Carson. et al. Dietary Cholesterol and Cardiovascular Risk: A Science Advisory From the American Heart Association. American Heart Association, 2019.

Leia também



Assine nossa newsletter: