fbpx


Bebê não pode comer mel? 7 alimentos proibidos aos pequenos

Postado em 11 de setembro de 2020 | Autor: Redação Nutritotal

Para o sucesso da introdução alimentar também é preciso saber o que riscar da lista de compras

Aqui no Nutritotal Público Geral, você aprendeu que existem alimentos indicados para incentivar a introdução alimentar dos bebês após os seis meses de vida, e que são nutritivos e saudáveis para consumo. Mas, por outro lado, há alimentos que precisam ser evitados nessa idade. Você já deve ter ouvido falar, por exemplo, que a alimentação deve ser zero açúcar até os dois anos e que o bebê não pode comer mel.

Essas recomendações, de fato, procedem. O que acontece é que o mel e outros alimentos podem conter conservantes, corantes e outros agravantes que podem ser ruins para a saúde da criança pequena.

A seguir, confira essas e outras recomendações do Ministério da Saúde:

Atenção: bebê não pode comer mel!

E nenhum dos alimentos a seguir; entenda os motivos:

Criança olhando para prato com expressão de rejeição

Certos alimentos contêm aditivos que podem prejudicar a saúde infantil | Imagem: Freepik

Pipoca

A pipoca deve ser evitada por crianças até dois anos de idade. Por ser mais dura, os pequenos podem ter dificuldade para mastigá-la de forma segura, já que ainda estão aprendendo a morder e costumam se distrair facilmente. As cascas podem aumentar o risco de engasgo e sufocamento, por isso é melhor evitar.

Batata frita

Caso esteja em forma de chips, palha ou frita, a batata é contraindicada. Muitas empresas usam formato de carinhas ou bolinhas para dizer que são produtos recomendados para os bebês, mas a verdade é que eles escondem muitos aditivos e são nutricionalmente desbalanceados. Prefira servir ao pequeno a batata assada, cozida ou em purê feita em casa.

Sucos

Segundo o Ministério da Saúde, existem diversos motivos para preferir ofertar a fruta em pedaços ao invés do suco para os pequenos. Entre eles estão a prática do exercício da musculatura da boca e rosto ao mastigar e a maior oferta de fibras (e menor de açúcares) que os pedaços de frutas proporcionam. Mais um motivo é que pode haver a impressão de que os sucos sustentam o apetite dos bebês, o que não é verdade. Portanto, recomenda-se que não sejam oferecidos sucos de frutas à criança menor de 1 ano, mesmo aqueles feitos somente com fruta.

Embutidos e ultraprocessados

Alimentos como hambúrgueres, nuggets e salsichas são contraindicados para as crianças pois contêm muitos aditivos, sódio e gordura saturada. Outros alimentos inclusos nesta lista são o presunto, a linguiça, a mortadela e os peixes empanados prontos para aquecimento.

Achocolatado de caixinha

No grupo dos laticínios, é preciso ficar de olho em alimentos direcionados ao público infantil, mas que são cheios de açúcares e aditivos. Alguns exemplos são os leites aromatizados, achocolatados de caixinha, bebidas lácteas adoçadas, iogurtes adoçados, com sabor e coloridos artificialmente e queijo tipo petit suisse.

Molhos prontos

Alguns temperos e molhos requerem cuidado antes do consumo. Evite oferecer aos pequenos alimentos temperados com caldos em cubos, em pó ou líquidos, e molhos prontos, pois são ultraprocessados com grandes quantidades de sal, gordura, açúcares, glutamato monossódico e outros aditivos químicos.

Mel

O botulismo infantil é uma forma especial de doença de origem alimentar, que afeta quase exclusivamente as crianças com idade inferior a um ano. E o mel é uma das fontes registradas de alimento veiculador do agente causador desse botulismo infantil, o Clostridium botulinum. Por isso, os pais devem ficar atentos para evitar o consumo de mel por bebês.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referência bibliográfica:

Guia alimentar para crianças brasileiras menores de 2 anos. Ministério da Saúde, 2019.

-

Assine nossa newsletter: