fbpx

O que a ciência já sabe – e o que é fake news – sobre os cuidados com a saúde pós-covid

Postado em 31 de agosto de 2020 | Autor: Redação Nutritotal

Uma boa nutrição é fundamental para quem está se recuperando da doença

Evitar aglomerações, usar máscara, lavar as mãos e higienizar os alimentos após as compras são algumas medidas já conhecidas para afastar o risco do novo coronavírus. Mas quando falamos de pessoas que já foram acometidas pela doença, vale saber que há cuidados também importantes na vida pós-covid. E, dentre eles, uma boa nutrição é de extrema relevância para a recuperação.

Risco de desnutrição

Sabe-se que doenças crônicas como diabetes, problemas pulmonares, insuficiência renal, doenças cardiovasculares e demência estão entre as mais observadas em pessoas com covid-19. E sintomas como náuseas, diarreia e perda de apetite também têm sido vistos nos pacientes. E são justamente essas condições que, segundo um estudo de revisão publicado no European Journal of Clinical Nutrition (EJCN), podem estar relacionadas ao risco de desnutrição.

É por isso que a nutrição adequada se mostra tão importante entre os cuidados pós-covid. E, para saber mais sobre ela (e não cair em fake news!), veja nossos mitos e verdades a seguir:

4 mitos e verdades sobre cuidados pós-covid

Veja o que já se sabe sobre a recuperação da doença e a alimentação.

Mulher vestindo máscara e sorrindo

Mesmo após o tratamento, pessoas que tiveram covid-19 precisam de cuidados | Imagem: Freepik

O acompanhamento nutricional é um cuidado pós-covid necessário aos pacientes

Verdade. Segundo o estudo do EJCN, o peso corporal, a ingestão alimentar e as condições clínicas precisam ser monitorados ao longo do tempo para garantir um estado nutricional ideal e melhorar os resultados clínicos em pacientes com covid-19.

Segundo os cientistas, subestimar a importância da nutrição em pacientes com a doença é um erro que pode afetar drasticamente os resultados.

Pacientes em recuperação devem cortar carboidratos e lipídeos da alimentação

Mito. Segundo a pesquisa do EJCN, uma alimentação equilibrada, que ofereça fontes de energia, proteínas, lipídios, carboidratos e hidratação adequada precisa fazer parte do tratamento nutricional pós-covid. Deve-se priorizar as fontes de carboidratos com baixo índice glicêmico e seguir uma alimentação que leve em conta fatores como o nível de atividade física, o estado clínico e as comorbidades de cada paciente.

Suplementar vitaminas e incluir probióticos podem ser ações necessárias em alguns casos

Verdade. Como parte das terapias de suporte adicional em quem está se recuperando do covid-19, pode ser preciso optar pela integração adequada de vitaminas, aminoácidos essenciais e ramificados, probióticos e suplementos nutricionais orais. Porém, só devem ser consumidos se houver necessidade e com acompanhamento médico ou nutricional.

A saúde materna deve ser uma das prioridades após a pandemia

Verdade. De acordo com um artigo publicado no periódico International Journal of Gynecology and Obstetrics, a vulnerabilidade imposta durante uma crise de saúde como a do novo coronavírus faz com que a prevenção e o cuidado com as doenças não transmissíveis (DNTs) como diabetes, hipertensão e obesidade sejam ainda mais priorizados. A saúde materna e infantil está ligada a essas doenças e seus fatores de risco, pois o impacto da má nutrição materna e das condições de saúde durante a gravidez pode ser considerado multiplicador da pandemia de DNTs.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Luigia B. et al. Nutritional management of COVID-19 patients in a rehabilitation unit. European Journal of Clinical Nutrition, 2020.

Anil K. et al. Maternal health and non‐communicable disease prevention: An investment case for the post COVID‐19 world and need for better health economic data. International Journal of Gynecology and Obstetrics, 2020.

Leia também



Assine nossa newsletter: