fbpx


Falsa omelete: conheça a receita que não leva ovos

Postado em 16 de março de 2021 | Autor: Redação Nutritotal

Preparo prático é um coringa na hora das refeições

Originária dos povos persas, a omelete é uma receita que percorreu o mundo graças à sua praticidade. Porém, foi somente na região da Normandia, na França, que ela ganhou esse nome e sua forma habitual de frigideira. A receita costuma ser feita à base de ovos, ervas picadas e ingredientes variados, de acordo com o gosto de cada pessoa. Só que nem todo mundo é fã de ovo e, em alguns casos, podem até ter alergia. Mas já pensou em substituir o ingrediente-base para agradar a todos? A adaptação é possível com alguns truques, originando o que se chama na culinária de falsa omelete.

Para aprender a fazer, confira a seguir a receita das nutricionistas Angélica Freitas, Claudia Alves, Dulcinea da Silva, Patrícia Marques e Renata da Silva, da Associação Brasileira de Nutrição (Abran), que foi publicada no livro digital Receitas Práticas e Saudáveis, feito pela instituição.

Falsa omelete

Falsa omelete

Imagem meramente ilustrativa | Freepik

Rendimento: 1 porção
Tempo de preparo: 10 min.

Ingredientes:

  • 200 g de creme de leite (1 caixinha) – Se quiser adaptar para uma receita vegana, experimente fazer o seu próprio creme de leite vegano.
  • 2 col. (chá) farinha de tapioca
  • 4 col. (sopa) de recheio de sua preferência (legumes cozidos, verduras refogadas, queijo etc.)
  • Sal a gosto
  • Azeite para untar

Modo de preparo:

  1. Misture o creme de leite, a farinha de tapioca e o recheio de sua preferência.
  2. Corrija o sal, se necessário.
  3. Unte uma frigideira com azeite, leve ao fogo baixo, espalhe a massa e frite dos dois lados.

Toque brasileiro

A farinha de tapioca é um ingrediente proveniente da mandioca que pode contribuir com a saúde. Um estudo publicado pelo periódico International Journal of Development Research apontou que uma porção dessa farinha possui aproximadamente 6,14% de amido resistente, ou seja, não sofre digestão enzimática em humanos. E ao testar o seu efeito digestivo em camundongos, os pesquisadores constataram uma redução na circunferência abdominal e na ingestão alimentar, de maneira geral. Porém, ainda faltam mais estudos em seres humanos para descobrir os reais efeitos desse ingrediente.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Receitas práticas e saudáveis. Associação Brasileira de Nutrição (ASBRAN), 2020.

Patrícia B. et al. Brazilian typical food with potential to improve lipid profile. International Journal of Development Research, 2018.

-

Assine nossa newsletter: