fbpx


Pode tomar álcool com medicamentos? 4 mitos e verdades

Postado em 7 de dezembro de 2020 | Autor: Redação Nutritotal

Veja como as bebidas alcoólicas podem influenciar o efeito de pílulas e comprimidos

Comer romã, pular sete ondas, vestir branco. São várias as tradições para as festas de final de ano. Entre as mais famosas, brindar a chegada do novo ano com uma taça de espumante é seguida à risca para quem deseja atrair prosperidade para os próximos 12 meses. Mas, para algumas pessoas, o voto de ter saúde pra dar e vender pode ficar mais próximo da realidade com uma boa dose de bebida não alcóolica à meia-noite. É o caso daqueles que estão em tratamento médico, por exemplo, pois nem sempre se pode tomar álcool com medicamentos.

Se você se encaixa nesse grupo, confira a seguir o que a ciência já sabe sobre a ingestão de bebidas alcóolicas com remédios e, se necessário, já providencie um bom drink sem álcool para começar o ano com o pé direito. Saúde!

Afinal, pode tomar álcool com medicamentos?

Desvendamos mitos e verdades sobre a relação entre a substância e alguns remédios.

Garrafa de vidro ao lado de comprimidos

Imagem: Freepik

Não pode tomar álcool com antibiótico

Parcialmente verdade. Não são todos os antibióticos que podem trazer efeitos colaterais com o consumo de álcool. Porém, alguns são realmente contraindicados a misturar com álcool. O metronidazol, indicado para infecções dentais ou vaginais, e o tinidazol, utilizado para tratar infecções em geral, podem causar dor de barriga, ondas de calor, dores de cabeça, tontura e sonolência caso sejam misturados com álcool. A lista também inclui a linezolida e a doxiciclina.

O álcool pode cortar o efeito da pílula do dia seguinte

Mito. A recomendação médica é de que o uso de anticoncepcionais seja indicado caso a mulher tenha vida sexual ativa e não planeje engravidar. E isso vale, inclusive, se ela for adepta do consumo de álcool. Porém, se a mulher tem o desejo de engravidar, a sugestão é que ela cesse o consumo de bebidas alcoólicas. Outro ponto importante: evite tomar a pílula quando sentir enjoo ou náusea, pois ela pode ser ejetada no vômito até duas horas após a ingestão.

Não há problema em tomar álcool após ingerir um antidepressivo

Mito. Bebidas alcóolicas e medicamentos antidepressivos pode ser uma combinação perigosa. Isso porque o álcool pode piorar os sintomas da depressão, tornando-os mais difíceis de tratar. Ele também pode causar um aumento no risco de efeitos colaterais, como sonolência e tontura.

Bebidas alcóolicas com anti-hipertensivos podem causar problemas de saúde

Verdade. O consumo de álcool, especialmente se for acima ou igual a 30 ml/dia, pode estar positivamente relacionado ao risco de incidência de hipertensão entre os homens, incluindo entre os que tomam medicamentos anti-hipertensivos.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Can I drink alcohol while taking antibiotics? NHS, 2018.

Alcohol and Pregnancy. CDC, 2016.

Mary K. et al. The Association between Alcohol Dependence and Depression before and after Treatment for Alcohol Dependence. ISRN Psychiatry, 2012

Sukyoung J. et al. Positive association of alcohol consumption with incidence of hypertension in adults aged 40 years and over: Use of repeated alcohol consumption measurements. Clinical Nutrition, 2020.

-

Assine nossa newsletter: