fbpx

A importância da nutrição para mulheres com síndrome de Turner

Postado em 9 de maio de 2020 | Autor: Redação Nutritotal

Veja como hábitos alimentares mais saudáveis podem ajudar as pacientes dessa doença

Castanhas-do-brasil em potes

A castanha-do-brasil é um dos alimentos apontados pela pesquisa | Imagem: Shutterstock

Mulheres que apresentam síndrome de Turner precisam de acompanhamento de um profissional de saúde sobre os cuidados e hábitos de vida. Um deles, em especial, é a nutrição, que foi avaliada por um estudo da Medical Principal and Pratice. Os cientistas compararam o papel da dieta e do estilo de vida no metabolismo de pacientes com a síndrome de Turner.

Segundo os pesquisadores, mulheres com a doença podem apresentar um perfil cardiometabólico ruim, que pode ser agravado por fatores como o perfil genético, a dieta, o hábito de fumar, terapias hormonais e o uso de suplementos alimentares.

Hábitos saudáveis

Para entender o papel da alimentação nessa comorbidade, foram avaliadas 50 pacientes com síndrome de Turner, sendo comparados os hábitos alimentares, o tabagismo, o consumo de álcool e de café de cada uma.

Como resultado, os cientistas observaram que o risco cardiovascular das pacientes pode ser reduzido usando abordagens educacionais para um estilo de vida saudável com foco em boas escolhas alimentares.

Essa abordagem nutricional pode ser feita por meio de uma dieta rica em micronutrientes como zinco e selênio, indicada e supervisionada por um nutricionista. Algumas das fontes alimentares que incluem esses nutrientes são as carnes vermelhas, os frutos do mar, hortaliças, frutas e a castanha-do-brasil.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Calcaterra V. et al. Diet and Lifestyle Role in Homocysteine Metabolism in Turner Syndrome. Medical Principal and Practice, 2019.

Pires L. Orientação nutricional pode ajudar portadoras da síndrome de Turner. Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP, 2008.

Leia também



Assine nossa newsletter: