fbpx

Dieta para pré-diabético: 5 mudanças alimentares necessárias

Postado em 17 de agosto de 2019 | Autor: Redação Nutritotal

Trocas simples no dia a dia podem fazer a diferença para a doença não evoluir

Ter uma alimentação saudável é importante para todo mundo, mas no caso de pacientes diagnosticados como pré-diabéticos, esse cuidado é ainda mais necessário. Isso porque mudanças na dieta podem ser essenciais para evitar que o quadro piore e o diabetes tipo II se instale de vez.

Segundo o Ministério da Saúde, uma alimentação com baixo teor de açúcar e alta ingestão de alimentos não processados diminui as chances de pessoas diagnosticadas com pré-diabetes evoluírem para a doença. Por isso, manter hábitos saudáveis e praticar exercícios são atitudes que contribuem para que não haja necessidade de o paciente fazer uso de medicamentos para controle do pré-diabetes.

Além disso, um estudo feito Universidade de Saúde e Ciência do Oregon (EUA) aponta que uma dieta anti-inflamatória para pré-diabéticos pode apresentar melhoras no peso corporal e ajuda a diminuir os sintomas associados a doenças cardiovasculares e ao diabetes.

5 mudanças na dieta para pré-diabético

Confira a seguir algumas alterações alimentares indicadas para essas pessoas.

Mesa com diversos vegetais, peixes, ovos e carnes

Aumentar a ingestão de legumes e verduras é uma das recomendações para pré-diabéticos | Imagem: Shutterstock

Consuma mais vegetais

Segundo o Ministério da Saúde, a alimentação de pessoas com pré-diabetes precisa ser baseada nas recomendações de uma alimentação saudável. Por isso, alimentos como legumes e verduras são essenciais, já que contêm fibras e fornecem nutrientes essenciais e uma quantidade relativamente baixa de calorias, o que impacta não só na prevenção ao diabetes, mas também à obesidade e outras doenças crônicas, como as do coração.

Faça troca saudáveis

Outra recomendação é que os pré-diabéticos optem por beber mais água, leite desnatado e frutas variadas ao invés de refrigerantes, bebidas lácteas com alto teor de gorduras e biscoitos recheados.

Dieta para pré-diabético deve ter menos alimentos processados

O Ministério da Saúde enfatiza ainda para não trocar comida feita na hora como caldos, sopas, saladas, arroz e feijão, macarronada, refogados de legumes e verduras por produtos que não passem por preparação culinária, como as famosas sopas de pacotinho, o macarrão instantâneo, pratos congelados prontos para aquecer, sanduíches, frios e embutidos, maioneses e molhos industrializados.

Siga horários na sua alimentação

Mais uma recomendação é que as refeições sejam feitas em horários parecidos todos os dias e consumidas com atenção e sem pressa, uma técnica chamada de mindful eating. Assim, a digestão é favorecida e o hábito evita que se coma mais do que o necessário.

Reduza o açúcar

E por último, mas não menos importante, diminua os níveis de açúcar na alimentação. Os teores excessivos podem levar ao aumento da glicemia e, por consequência, fazer com que o diabetes se instale de vez.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Horgan A. et al. Effect of the Anti-Inflammatory Diet in People with Diabetes and Pre-Diabetes: A Randomized Controlled Feeding Study. Universidade de Saúde e Ciência do Oregon, 2019.

Alimentação adequada é grande aliada no combate ao pré-diabetes. Ministério da Saúde, 2018.

Leia também