fbpx


É verdade que o alho ajuda o corpo a combater o coronavírus?

Postado em 28 de dezembro de 2020 | Autor: Redação Nutritotal

Veja as principais fake news sobre a relação entre alimentação e covid-19

Por meio de aplicativos de mensagem e das redes sociais, muita informação a respeito do novo coronavírus acaba sendo divulgada em questão de segundos. O problema, porém, é que muitas vezes elas não passam de notícias falsas, também conhecidas como fake news. Sendo assim, é preciso ficar de olho em supostas curas milagrosas e tratamentos caseiros. Se você receber uma mensagem falando que alimentos como alho são capazes de combater o coronavírus ou que bebidas alcoólicas previnem a doença, cuidado!

É fundamental se informar em canais oficiais, como das autoridades de saúde ou de veículos com credibilidade e compromisso com a divulgação científica. Afinal de contas, a ciência ainda está investigando as cepas do Sars-CoV-2 – o vírus causador da covid-19 – e suas possíveis mutações em seres humanos.

No Nutritotal Público Geral, desde o início da pandemia, mantemos o compromisso de informar nossos leitores com base na ciência e em especialistas. Seguindo essa missão, e para você não cair no conto das fake news, elencamos a seguir alguns mitos e verdades acerca do covid-19, baseados em estudos científicos. Confira:

Alho mata o coronavírus? 4 mitos e verdades sobre a doença

Você pode acessar os estudos consultados nos links no final do post.

Máscara e alho

O alho é benéfico à saúde, mas não é capaz de curar doenças | Imagem: Freepik

Comer alho ajuda a combater o coronavírus

Mito. O que se sabe, até o momento, é que a ingestão diária de alho e de seus derivados naturais pode ajudar como uma terapia complementar, podendo melhorar os efeitos colaterais e a toxicidade de alguns fármacos terapêuticos. Entretanto, isso não quer dizer que o alho seja capaz de prevenir a proliferação do vírus e o seu contágio.

Gengibre pode ser útil na recuperação de pacientes com Síndrome Respiratória Aguda Grave devido a covid-19

Parcialmente verdade. Assim como o alho, o gengibre pode ajudar na taxa de recuperação desses pacientes, em sintomas clínicos como febre, tosse seca, cansaço e sintomas gastrointestinais. Mas ainda são necessários mais estudos para comprovar a sua eficácia e, novamente, não há relação entre o consumo do alimento com a prevenção ou tratamento do novo coronavírus.

Beber álcool pode ajudar na prevenção de covid-19

Mito. Além de uma série de associações negativas à saúde física, o uso excessivo de álcool pode até mesmo piorar problemas de saúde mental existentes, como ansiedade ou depressão, que, por sua vez, podem estar aumentando durante a pandemia.

Pessoas obesas são mais propensas a terem complicações causadas pelo novo coronavírus

Verdade. A ligação entre indivíduos obesos e covid‐19 é controversa, porém, um estudo de revisão apontou que eles têm risco maior de desenvolverem complicações durante o período de hospitalização por conta da doença. Outra preocupação, segundo os pesquisadores, é de que as vacinas sejam menos eficazes em pessoas obesas. Saiba mais sobre essa relação clicando aqui.

 

Este conteúdo não substitui a orientação de um especialista. Agende uma consulta com o nutricionista de sua confiança.

Referências bibliográficas:

Sucheta K. et al. Garlic (Allium sativum L.): a potential unique therapeutic food rich in organosulfur and flavonoid compounds to fight with COVID-19. Nutrition Journal, 2020.

Omid S. et al. Effects of Ginger on clinical manifestations and paraclinical features of patients with Severe Acute Respiratory Syndrome due to COVID-19: A structured summary of a study protocol for a randomized controlled trial. BMC, 2020.

Michael S. et al. Changes in Adult Alcohol Use and Consequences During the COVID-19 Pandemic in the US. JAMA Network, 2020.

Barry P. et al. Individuals with obesity and COVID‐19: A global perspective on the epidemiology and biological relationships. Obesity Reviews, 2020.

-

Assine nossa newsletter: